Em Gre-Nal de portões fechados, arquibancada foi nos bares de Porto Alegre
patrocinado por

Em Gre-Nal de portões fechados, arquibancada foi nos bares de Porto Alegre

Sem poder acompanhar a final do Gauchão no Beira-Rio, torcedores acompanharam o jogo em estabelecimentos da Capital

Gabriel Guedes

Gre-Nal reuniu torcedores em bares na Capital, apesar da recomendação de distanciamento por conta da pandemia

publicidade

Atendendo ao que estabelece os protocolos de prevenção à Covid-19, a primeira partida da final do Gauchão, entre Grêmio e Inter, no Beira-Rio, acabou ocorrendo sem a presença da torcida. Mas ao contrário dos estádios, os bares e restaurantes da Capital que estiveram abertos acabaram se tornando praticamente a arquibancada deste Gre-Nal. Sentados lado a lado, gremistas e colorados vibraram a cada gol e também aguentaram a "flauta" de perto, mas tudo com muito respeito e amizade, o que ajudou a manter a tranquilidade em Porto Alegre.

Nos arredores do Beira-Rio, poucos torcedores colorados se aglomeravam para acompanhar a partida em bares por perto. Outros passavam de carro, buzinando. A imagem de tranquilidade contrastava com o policiamento reforçado na região, embora a partida não tivesse a presença dos torcedores.

Mas foi em bares na Cidade Baixa e em estabelecimentos no bairro Moinhos de Vento em que se concentraram os torcedores na tarde deste domingo. As amigas Débora Simone Silva da Silva, 49 anos, e Thaisine Farias Dutra, 18, da Lomba do Pinheiro, a primeira, gremista, e a segunda, colorada, dividiam a mesa em um bar na esquina das ruas Lima e Silva e República. Prevendo o placar, cada uma disse que o jogo terminaria em 2 a 1, mas afirmando que a vitória seria do seu time. "Acho que o novo técnico tem um bom grupo e melhorar o que o Renato fez. Acho que agora temos uma chance", avaliou Débora. "Os dois no momento tem condições, mas o Inter terá umas boas chances", analisou a amiga colorada.

No bairro Moinhos de Vento, o movimento se concentrou na rua Padre Chagas. Assim como na Cidade Baixa, a situação foi tranquila. Entretanto, apesar dos protocolos, os estabelecimentos estavam lotados de torcedores, que acabaram se aglomerando e como também tinham que consumir alimentos e bebidas nos locais, acabaram abrindo mão do uso da máscara de proteção à Covid-19. Instantes antes de terminar a partida, com o segundo gol tricolor, os colorados começaram a deixar seus postos. A Brigada Militar, que antes guarnecia o Beira-Rio, passou a reforçar o policiamento nas regiões boêmias de Porto Alegre, mas não foram observador problemas em decorrência da partida. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895