Ex-tenista Marcelo Ríos acusa ATP de encobrir casos de doping de Agassi
capa

Ex-tenista Marcelo Ríos acusa ATP de encobrir casos de doping de Agassi

Chileno disse que ex-número 1 do mundo não foi punido por ser quem era e pelo momento de crise do tênis

Por
AFP

Rios se aposentou em 2004 por dores na costas.

publicidade

O ex-tenista chileno Marcelo Ríos criticou duramente a Associação de Tenistas Profissionais (ATP) em entrevista ao jornal chileno La Tercera, acusando a entidade que comanda o circuito profissional masculino de ter encoberto "em quatro oportunidades" nos anos 1990 situações de doping da estrela americana André Agassi. Questionado pelo jornalista o sobre o caso do compatriota Nicolas Jarry, suspenso após um exame positivo por uso de anabolizante em novembro de 2019, Rios atacou a organização, a qual chamou de "a maior merda que existe". "Eles pegaram Agassi quatro vezes no doping e encobriram o caso porque era Agassi, e o tênis estava em crise. São uns merdas, uns 'gringos'", continuou.

Ríos , que atingiu o topo do ranking mundial em 1998 mesmo sem nunca ter vencido um torneio de Grand Slam, mas que tem 18 títulos na carreira, era conhecido dentro de quadra pelo forte temperamento. Um traço de personalidade que parece ter conservado aos 44 anos. Em sua autobiografia publicada em 2009, André Agassi, ex-número 1 do mundo e um dos maiores nomes da história do tênis, admitiu usar metanfetamina durante parte da carreira e ter sido pego no doping por uma droga pura em 1997.

Ele também relatou ter mentido à ATP para justificar o exame positivo, evitando assim qualquer punição, mas não citou outro caso. Contactada pela AFP, a ATP não comentou até esta quarta-feira as acusações de Ríos , que tem tido discretas aparições públicas desde que se aposentou em 2004 devido a dores nas costas.