Goleiros da dupla Gre-Nal tentam reduzir prejuízo com treinos físicos e trabalhos por vídeo
capa

Goleiros da dupla Gre-Nal tentam reduzir prejuízo com treinos físicos e trabalhos por vídeo

Sem jogos, os donos da posição que mais sofrem pela falta de ritmo minimizam as perdas durante paralisação por coronavírus

Por
Correio do Povo / Rádio Guaíba

Goleiros da Dupla tentam minimizar impactos da paralisação


publicidade

Se a pandemia do coronavírus paralisa o futebol e adia treinos e partidas por tempo indeterminado, há um grupo de jogadores que sente especialmente a falta de ritmo. Os goleiros, que precisam constantemente estar atuando para manter o nível, devem ser os mais prejudicados quando o esporte retornar. 

Para evitar ao máximo o efeito negativo, os preparadores da dupla Gre-Nal trabalham constantemente com os altetas, ainda que virtualmente. Longe dos gramados, Marcelo Lomba e Vanderlei, os titulares da posição, além dos reservas imediatos, são acompanhados online pelos preparadores de Grêmio e Inter, Mauri Lima e Daniel Pavan, respectivamente. 

O preparador de goleiros do Inter, Daniel Pavan, explica que o clube monitora os atletas à distância, mantendo contato direto. “Mandamos uma sequência de exercícios diários para eles, e também usamos vídeo conferência. Não é a mesma coisa, mas ajuda a amenizar a parada”, frisou.

Pavan reconhece que a falta de ritmo provocada pela parada é uma preocupação séria, e admite que os treinos em casa amenizam perdas, mas não substituem o ritmo de jogo necessário para o goleiro. “Eles precisam estar atuando. Vínhamos num grande momento, com o Marcelo [Lomba] fazendo grandes jogos na Libertadores”, lamentou. 

De acordo com o preparador de goleiros do Grêmio, Mauri Lima, a equipe realizou uma programação elaborada para os atletas da posição, juntamente com a fisiologia e os responsáveis pela parte física. Mas fez ressalvas quanto ao prejuízo: “A movimentação não é como gostaríamos que fosse, principalmente para o goleiro”, lamentou.


O preparador de goleiros do Grêmio também mostrou-se preocupado com a parada por outro motivo: após chegar com pouco ritmo por conta de um ano no banco de servas do Santos, e até ser contestado nos primeiros jogos, Vanderlei mostrava evolução nos últimos jogos antes da pausa. “Sentiu na chegada, mas estava voltando a ter confiança. Dentro da qualidade que ele tem e já mostrou, a gente espera que mantenha isso no retorno”, projetou.