Após gol de falta, Jean Pyerre quer “ter mais faro de artilheiro” no Grêmio
capa

Após gol de falta, Jean Pyerre quer “ter mais faro de artilheiro” no Grêmio

Jogador contou que sempre treina cobranças de bola parada

Por
Correio do Povo

Atleta marcou três gols de bola parada nos últimos oito jogos do Grêmio

publicidade

Autor de um dos gols da vitória do Grêmio por 2 a 0 contra o Athletico-PR, na partida de ida da semifinal da Copa do Brasil, Jean Pyerre tem se consolidado como importante peça do meio campo do time. Criado nas categorias de base do clube, o jovem comemora o bom momento e comenta que, apesar de ter preferência por driblar e "servir" os companheiros com passes, quer “ter mais faro de artilheiro” e marcar mais pelo Tricolor. “Na base, sempre joguei mais recuado, de segundo volante. Quando subi para a transição e para o profissional, comecei como meia e a fazer gols. Gostei disso, é bom. Agora, estou me cobrando que tenho que marcar mais para estar sempre contribuindo”, afirmou ao programa Seleção, do SporTV.

Uma das “armas” do atleta para atingir esse objetivo é a bola parada. Nos últimos oito jogos, ele fez três gols, todos dessa forma. Na vitória contra o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro, deu a vitória ao Tricolor após marcar de falta; na partida de volta das quartas de final da Libertadores, abriu a goleado contra o Libertad, com uma cobrança certeira de pênalti. Ontem, novamente de falta, após Everton ter sido derrubado, na intermediária, aos 27 minutos do segundo tempo, selou o resultado na Arena.

“Quando o goleiro armou a barreira, ele me deu a referência que eu precisava, porque eu sabia que se batesse forte, por fora, teria grandes chances de marcar. Não precisaria ser um chute por cima, podia passar pelo lado, e meu cálculo deu certo. Isso quer dizer queestou bem de matemática. Pude ser feliz e ajudar a equipe”, brincou sobre o lance.

Além disso, o camisa 21 explica que as cobranças de faltas são parte de sua rotina de treinamento. “Tanto eu quanto o Luan tentamos bastante. Nos ajudamos muito. Antes dos jogos, procuro fazer uma sequência muito grande de faltas e às vezes eu tenho um aproveitamento muito bom. Também tenho muito auxílio de todo pessoal, até do próprio treinador de goleiros. Sempre tento fazer nos jogos aquilo que venho treinando”, comentou.

Nascido em Alvorada, o jovem fez sua estreia no grupo profissional no final do ano passado, em uma derrota para o Botafogo. De lá para cá, ele avalia que sua evolução é evidente, mas considera que ainda é necessário “melhorar muita coisa”. “Venho aprendendo muito com meus companheiros e com o professor Renato, que já viveu aquilo que a gente vive hoje. Minhas tomadas de decisão já melhoraram. A cada jogo, a cada ano que passa, procuro aprender o máximo possível e ficar experiente nas coisas que eu errava para estar sempre numa crescente”, finalizou.