Jogadores do Libertad, adversário do Grêmio na Libertadores, são afastados do grupo principal
capa

Jogadores do Libertad, adversário do Grêmio na Libertadores, são afastados do grupo principal

Lucena, Benítez e Recalde iniciaram trabalhos de pré-temporada com os aspirantes por conta de problemas contratuais

Por
Correio do Povo

Recalde (à direita, de colete amarelo) foi um dos jogadores afastados pela direção do clube paraguaio

publicidade

Três jogadores do Libertad, adversário do Grêmio nas oitavas de final da Libertadores da América, foram afastados pela direção da equipe, e estão realizando o trabalho de pré-temporada juntamente com os aspirantes. A informação é do D10, vinculado ao jornal paraguaio Ultima Hora

Os afastados foram o atacante Jorge Recalde, o volante Ángel Lucena e o lateral Alan Benítez. Os dois últimos, inclusive, estiveram em campo no Paraguai, no dia 23 de abril, quando o Grêmio venceu os paraguaios por 2 a 0. Ambos entraram no decorrer do jogo. Já Recalde entrou na partida na Arena, no dia 12 de março, na vitória dos paraguaios por 1 a 0.

Para o periódico paraguaio, o presidente do clube Francisco Giménez Calvo confirmou a informação, e falou que o motivo da decisão foi a atitude dos jogadores de forçar uma possível transferência para outras equipes. "Eles manifestaram seus interesses em sair do clube e queremos jogadores comprometidos com a nossa instituição", declarou. 

O vínculo contratual dos três jogadores vence no final do ano. Ainda segundo o Ultima Hora, Recalde teria, inclusive, proposta para seguir atuando no Olimpia, principal rival do Libertad no país. 

O Libertad já fez a sua reapresentação para os trabalhos de pré-temporada, mas sem alguns atletas, que estão na Copa América. É o caso do atacante Óscar Cardozo, que inclusive marcou gol no empate do Paraguai em 2 a 2 contra o Catar. No total, 26 jogadores iniciaram os trabalhos no estádio Nícolas Leóz. 

Os três seguem afastados do grupo principal, e se apresentaram para treinar normalmente junto aos aspirantes. O vice de futebol do clube, Rubén di Tore, definiu o caso como "encerrado" para a direção do Libertad. 

Polêmica em março 

Essa não é a primeira vez que uma polêmica extracampo atinge o Libertad ao longo da Libertadores de 2019. Em março, após golear a Universidad Catolica por 4 a 1, a direção optou por demitir o então treinador Leonel Álvarez. Na ocasião, o clube alegou que o treinador não teria cumprido questões contratuais.