"Não saímos da cama", diz Renato ao falar de sonolência do Grêmio
capa

"Não saímos da cama", diz Renato ao falar de sonolência do Grêmio

Treinador lamentou falhas recorrentes da equipe e explicou mudança ainda no primeiro tempo com a entrada de Jean Pyerre

Por
Correio do Povo

Thaciano foi obrigado a atuar na lateral-direita com a entrada de Jean Pyerre

publicidade

Ao falar apenas do jogo entre Grêmio e São Luiz, Renato Portaluppi disse que ficou satisfeito com o resultado, mas transpareceu uma incomodação com a postura do Tricolor durante o período em que a equipe de Ijuí chegou a estar vencendo por 2 a 0.  

"Nós pagamos porque não acordamos. Não saímos da cama. Eu avisei ainda durante o café da manhã, que tínhamos de entrar ligados. Tomamos um gol com 40 segundos de jogo e depois tomamos outro. Todos de falhas nossas. Tomamos gols de quem ainda estava dormindo", resumiu o técnico. "Entramos dormindo e não é a primeira vez que isso acontece. Pagamos pelos nossos erros", acrescentou. 

O treinador disse que não queria utilizar Jean Pyerre ainda no primeiro tempo, mas se viu obrigado diante do panorama da partida. "Eu falei que quem estivesse dormindo iria sair. Não podíamos deixar as coisas acontecerem, tínhamos de fazer acontecer. Depois que entramos no jogo, crescemos taticamente, fizemos pressão e perdemos vários gols. O Jean Pyerre não tinha condições para 70 minutos, mas acabei colocando ele. E não tem nada a ver com o Orejuela, ele não é culpado de nada. Eu tive de mexer no time", explicou. 

Para Renato, o São Luiz teve méritos pelo resultado parcial, mas reiterou que as falhas gremistas foram importantes para o desenrolar do confronto. "Não dá para dar este mole, não tirando os méritos do adversário, mas foi muito mais falha nossa. No futebol, a bola pune e avisei eles (jogadores). Não é porque viramos o jogo que está tudo bem, não está. Daqui a pouco você não vai conseguir virar a partida", avisou.