Renato reconhece que "Flamengo está muito acima de todos", mas exalta trabalho do Grêmio
capa

Renato reconhece que "Flamengo está muito acima de todos", mas exalta trabalho do Grêmio

Para o técnico do Tricolor, só não vê que o Rubro-Negro é o melhor time do Brasil "quem está com o ciúmes ou é cego"

Por
Correio do Povo

Renato reconheceu superioridade do Flamengo

publicidade

O técnico Renato Portaluppi exaltou o espírito de luta do Grêmio após a derrota para o Flamengo neste domingo, minimizando o fato de que os adversários jogaram a partida com oito jogadores reservas. “Se vamos falar de time reserva, temos que falar dos nossos desfalques. Minha equipe foi ofensiva o jogo todo, no final principalmente, mas não podemos tirar os méritos eles: sai um, entra outro, eles mantém o ritmo. Mudam as peças, mas continuam bem”, elogiou comandante do Tricolor. “O Flamengo vem há horas tendo o melhor futebol do Brasil,. No momento em que você gasta, a probabilidade é grande de vencer. Grêmio caiu do patamar e o Flamengo está muito acima de todos. Quem não reconhece ou está com ciúmes, o que não é o meu caso, ou está cego”, disse.

Questionado sobre sua mudança de posicionamento ao reconhecer o Rubro-Negro como o melhor time do Brasil, ele disse: “contra os números e contra a maré não vou nadar”. “Bato palmas para diretoria do Flamengo porque formaram um grupo para ganhar, tem jogadores muito acima da média de qualquer time daqui. É até difícil escalar esse time, mas meu time está de parabéns”, afirmou, ressaltando que continua confiante no trabalho feito com sua equipe e no desempenho dos últimos anos. 

"Temos que colocar na balança o plantel dos dois. Estamos de parabéns. Meu clube não investiu nada e disputou três grandes competições. Nosso trabalho é excepcional, tem times que disputaram só uma e estão atrás de nós. Nossa briga não é só com Flamengo ou Palmeiras (adversário da próxima rodada), nossa briga é com todos os adversários, contra o Inter, o Corinthians”, defendeu, ressaltando que não havia nenhum sentimento de revanche na partida de hoje.

Renato garantiu que as últimas cinco rodadas do campeonato serão de “briga boa até o final”. “O importante é que minha equipe conseguiu cinco jogos e cinco vitórias desde a eliminação da Libertadores, ultrapassamos quem estava na nossa frente e conseguimos uma gordurinha. Eventualmente ela vai sumir, porque não podemos ganhar todas. Mas minha equipe não está lutando contra o rebaixamento, no meio da tabela. O Grêmio está no G-4. Com foco, concentração, vamos continuar lutando para nosso objetivo, que é esse”, garantiu

Futuro em aberto

Renato deixou em aberto o futuro no Grêmio – disse que não falaria sobre permanência –, mas afirmou que só vai focar em apenas uma competição caso seus superiores peçam “Não sei se eu estarei aqui no ano que vem, mas mas se eu receber uma ordem de cima do tipo ‘Renato, vamos só no Brasileiro'", tenho certeza que vamos disputar título”, afirmou, lembrando que o Tricolor disputou 40% das 33 rodadas com uma equipe alternativa por conta de Libertadores e Copa do Brasil.

Indagado sobre declarações do presidente Romildo Bolzan Jr. de que “o cinto não vai se abrir muito”, em referência a investimentos altos em jogadores, o técnico retrucou que “o cinto também não vai se fechar”. “Se você quer ganhar… isso não vai acontecer, a não ser que alguém chegue aqui e fale isso. Mas também eu vou falar: não cobrem nada. O presidente tem conversado comigo, não vamos abrir o cinto demais como Flamengo ou Palmeiras. Se o cinto fechar, pode ter certeza de contratar outro treinador. Eu não não vou ficar lá para trás na tabela, eu nasci pra vencer, mas para isso preciso ter as peças também”, concluiu.