"Tenho caminho aberto para entrar e sair do clube", diz Renato

"Tenho caminho aberto para entrar e sair do clube", diz Renato

Técnico admitiu desempenho ruim do Grêmio e condicionou melhora ao esvaziamento do DM e ao entrosamento com os novos jogadores

Correio do Povo

Renato pediu paciência ao torcedor em um momento de transição

publicidade

Ao lado do presidente Romildo Bolzan Júnior para falar sobre a atual fase do Grêmio, o técnico Renato Portaluppi afirmou nesta sexta-feira que tem caminho livre para "entrar e sair do clube". Além disso, o treinador mencionou que não há multa rescisória no contrato estabelecido com o Tricolor. 

"Eu não coloco R$ 1 real de multa e poderia fazê-lo, como muitos treinadores fazem. E ai fíca no dia a dia, discutindo, brigando, querendo bronca para ser mandado embora e ganhar multa. Eu não sou deste tipo. Então, tenho caminho aberto, porta aberta para entrar e para sair, sem problema algum. Não vai ser o Renato, no momento em que sentir que está prejudicando o Grêmio, que vai querer ficar. Podem ficar tranquilos que esta decisão eu vou tomar antes do presidente, com todo o respeito a ele. Vou falar a ele e agradecer. Mas agora o momento é de seguir", disse Renato. 

O técnico ainda salientou a liberdade que tem com o mandatário gremista. "Defino meus contratos com o presidente em cinco minutos. Eu tenho uma liberdade que hoje é rara no futebol. No momento em que sentir que estou atrapalhando, eu saio. Inclusive agora, se eu quiser, posso pegar as minhas coisas e sair e o clube não vai ficar me devendo nada", enfatizou. 

Fase gremista na temporada 

O comandante gremista comentou as críticas que tem recebido por conta dos últimos jogos do Tricolor no Campeonato Brasileiro e na Libertadores. Ele negou que o Grêmio esteja vivendo um péssimo momento na temporada. "O momento do Grêmio é mais ou menos. Estamos bem na Libertadores e no Brasileirão, que eu acho que estão fazendo uma tempestade em copo d' água. O Grêmio, se vencer o jogo que tem a menos, ficará a cinco pontos do líder, que hoje é o Inter. O Grêmio não está bem, mas também não está péssimo. Isso não entra na minha cabeça", declarou. 

Renato também disse que a melhora do Grêmio está ligada ao entrosamento com os novos jogadores que chegaram e ao esvaziamento do departamento médico. "A gente está trabalhando para melhorar. Agora, ninguém é mágico para fazer o time funcionar sem oito atletas. Ninguém é mágico. A gente procura, jogo a jogo, melhorar, mas são vários desfalques e o entrosamento é muito importante. Quando você não tem isso, certas coisas negativas acontecem dentro do campo. Nós sabemos que precisamos melhorar. Queremos recuperar os jogadores, entrosá-los, até porque o nosso grupo é muito forte, é muito bom, desde que todos os soldados estejam prontos para a batalha", argumentou. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895