Libertadores depende de melhora acentuada do Inter

Libertadores depende de melhora acentuada do Inter

Cálculos indicam que, para assegurar uma vaga na competição em 2022, Inter precisa de mais 34 pontos no returno

Fabricio Falkowski

Time de Aguirre precisará acelerar na segunda metade da competição

publicidade

Atualmente, há o G-6, que pode transformar-se em G-7, G-8 e até em G-9. Mesmo assim, o Inter começa o segundo turno do Brasileirão jogando contra o Sport, na segunda-feira, longe da almejada vaga na próxima edição da Libertadores. Para alcançar a meta, que é importante não só por questões esportivas, mas também financeiras, o time colorado precisará acelerar na segunda metade da competição.

Quando a delegação colorada viajar a Recife, estará na segunda parte da tabela de classificação, cinco pontos atrás do G-6, cinco à frente do Z-4. Antes da rodada, o Corinthians aparecia como o último classificado para a Libertadores, com 28 pontos e 49,1% de aproveitamento. Passar o clube do Parque São Jorge é a obsessão dos colorados, mas o caminho é longo e precisará um melhor rendimento.

Para subir dos atuais 42,6% para perto de 50% no final da competição, o time colorado terá que somar mais 34 pontos no returno – no primeiro turno, conquistou só 23 –, chegando a 57. Ou seja, mesmo que o Inter tenha neste momento um jogo a menos que muitos dos seus concorrentes, terá que alcançar um aproveitamento quase de campeão para chegar à meta.

Veja Também

Porém, há boas notícias. Três dos quatro semifinalistas da Libertadores deste ano são brasileiros (Flamengo, Atlético Mineiro e Palmeiras). Se um deles erguer a taça, abre-se mais uma vaga para brasileiros. Portanto, o G-6 virá G-7. Além disso, Red Bull Bragantino e Athletico-PR estão na semifinal da Sul-Americana, que também destina uma vaga na Libertadores de 2022 como prêmio ao campeão. Por fim, ainda há outra vaga, que pode transformar o G-6 em G-9, em disputa na Copa do Brasil. “Temos um jogo importante contra o Sport. Eles precisam vencer para sair da zona do rebaixamento e nós para chegar ao G-6. Vai ser um duelo difícil, mas teremos que pontuar”, projetou o goleiro Daniel, em entrevista distribuída pelo clube durante a semana.

Ficar fora da próxima edição da Libertadores custaria caro ao Inter. Há quase dois anos jogando sem torcida, com o número de sócios em queda, a participação na competição sul-americana é garantia de cotas altas.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895