Vendas menores são alternativa para Inter gerar receitas
capa

Vendas menores são alternativa para Inter gerar receitas

Direção colorada negocia jogadores que atuaram pouco pelo time, como Gustagol e Erick

Por
Correio do Povo

Colorado busca negociar Erik, mas manter parte dos direitos econômicos


publicidade

Em tempos de crise financeira severa, qualquer fonte de recurso, sobretudo inesperada, torna-se fundamental. Por isso, o Inter tentará negociar alguns jogadores pouco ou ainda não utilizados para gerar receita, preservando a base do grupo que começou a temporada sob o comando de Eduardo Coudet. É quase certo que também terá que vender algum atleta mais valorizado em algum momento da temporada. Qualquer possibilidade de negócio passa a ser estudada pelos dirigentes para fazer caixa e enfrentar a escassez de recursos que veio na esteira da paralisação do futebol.

Um exemplo claro da política envolve o centroavante Gustavo, o Gustagol. O jogador desembarcou em Porto Alegre no começo da temporada para ser reserva de Paulo Guerrero, que seria constantemente convocado para os jogos da seleção peruana na Copa América e nas Eliminatórias para a Copa do Mundo. Gustagol pertence ao Corinthians, mas o Inter comprou 15% dos seus direitos econômicos quando efetivou a sua contratação.

Ocorre que o centroavante recebeu uma proposta para defender o Jeonbuk Motors, da Coreia do Sul. O Corinthians já aceitou a oferta para vender a sua parte, mas os dirigentes colorados tentam receber um pouco mais pela parte do Inter. A tendência é o negócio render cerca de R$ 3 milhões aos cofres colorados, que serão bem-vindos neste momento.

Gustagol tem passagens por Criciúma, onde começou a carreira, Goiás e Bahia, além do Corinthians. No Fortaleza, em 2018, marcou 30 gols em 45 jogos, chamando a atenção mais uma vez do Corinthians. Foi chamado de volta para o clube paulista onde, na temporada passada, marcou 14 gols em 53 jogos. Neste ano, jogou três partidas pelo Inter, mas não balançou as redes nenhuma vez.

Outra possibilidade de negócio em curto prazo para amenizar o problema econômico envolve o jovem Erick. O lateral-esquerdo de apenas 19 anos interessa ao Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos. Para repassar os seus direitos federativos, os dirigentes colorados insistem em permanecer com 50% dos direitos econômicos, o que pode render mais algum dinheiro em uma futura negociação.


Erick subiu para grupo principal no ano passado, depois que o Inter vendeu Iago ao Augsburg, da Alemanha. Ele teve poucas chances de jogar, participou de três partidas, e acabou sendo devolvido ao grupo sub-20. Coudet tem, neste momento, Moisés, Uendel e Natanael para a posição, fila que freia a ascensão do jogador da base.