Brasil vence a Grã-Bretanha e está na semifinal do tênis de mesa S1-S2
capa

Brasil vence a Grã-Bretanha e está na semifinal do tênis de mesa S1-S2

Equipe venceu partida de duplas e no individual, aproximando-se da medalha

Por
Agência Brasil

publicidade

A equipe brasileira formada pelos mesatenistas Guilherme Costa, Iranildo Espíndola e Aloisio Lima venceu a Grã-Bretanha e avançou para as semifinais. Os britânicos Paul Davis e Rob Davis não conseguiram superar o volume de jogos dos brasileiros e perderam tanto a partida em dupla quanto a individual, o que evitou a necessidade de uma terceira disputa.

A categoria dos atletas é 1 e 2 e todos os jogadores são cadeirantes. No jogo em dupla, Guilherme e Iranildo foram muito superiores, desde o início, a Paul e Rob, fazendo 11 x 3, 11 x 5 e 11 x 8, em 36 minutos. No jogo seguinte, individual, Guilherme enfrentou Rob e venceu por 3 sets a 1, com parciais de 11 x 9, 7 x 11, 15 x 13 e 11 x 2, em 29 minutos de jogo.

Ao final, os brasileiros comemoraram a vitória junto à torcida, que vibrou o tempo todo, e disseram que agora o objetivo principal é vencer a França, adversária desta quinta-feira. Guilherme teve que lutar inclusive contra um pneu furado em sua cadeira, que precisou ser arrumado para continuar a disputa.

“Foi uma partida boa, não foi 100%. Meu pneu furou, teve que arrumar. Isso acabou tirando um pouco o meu foco, fiquei um pouco nervoso, mas soube escutar meus parceiros e meu técnico. Agora, é uma outra caminhada, um outro leão para matar. Vamos pegar a França, que é uma equipe muito forte”, disse Guilherme.

Apesar do resultado favorável, Iranildo destacou que foi uma vitória suada. “Nada foi fácil. Nós fizemos treinamentos importantes e nos impusemos. Agora é acalmar os nervos. Estar em uma semifinal de uma Paralimpíada não é simples, a gente sabe o nível que está as competições hoje em dia. Agora, é pensar exclusivamente na França e entrar com tudo para estar na final”, disse Iranildo, o mais experiente da equipe, com quatro Paralimpíadas no currículo.

Mesmo quem esteve de fora, como Aloisio, também foi importante para a vitória. “Os adversários são jogadores da minha classe e eu tenho conhecimento deles. Fizemos muito treinamento específico, dentro das jogadas que iriam acontecer”, revelou Aloisio. Outra equipe brasileira, que jogou contra a França, foi derrotada, tanto na partida de duplas, que contou com Carlos Carbinatti e Diego Moreira, quanto na individual, disputada por Carbinati. Mais cedo, os brasileiros David Freitas e Welder Knaf bateram a Coreia do Sul pela Classe 3 e também passaram para a semifinal.