Destino do laboratório antidoping do Rio será decidido em até oito dias

Destino do laboratório antidoping do Rio será decidido em até oito dias

Local foi suspenso em junho por produzir resultado adulterado de amostra

AFP

Local foi suspenso em junho por produzir resultado adulterado de uma amostra

publicidade

O laboratório antidoping do Brasil (LBDC), suspenso provisoriamente em 24 de junho, saberá se poderá ser utilizado durante os Jogos Olímpicos em até oito dias, anunciou nesta segunda-feira o diretor-geral da Agência Mundial Antidoping (Wada), Olivier Niggli. "Uma auditoria científica foi realizada na semana passada e uma comissão disciplinar independente deverá se reunir em uma semana", explicou o dirigente.

Esta comissão, composta de dois advogados e um cientista, levará em consideração os resultados da recente auditoria e o relatório que levou à suspensão. "A comissão emitirá uma recomendação no fim de semana ou no início da semana que vem", completou Niggli, afirmando que os investigadores não serão influenciados pela proximidade dos Jogos Olímpicos, que começam em menos de um mês (5-21 de agosto).

A comissão poderá decidir pela reabilitação integral, pela reabilitação condicional, pela manutenção da suspensão ou pela revogação definitiva da credencial do laboratório. Localizado no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o laboratório, que antes se chamava Ladetec, foi suspenso em junho, a 42 dias da cerimônia de abertura dos Jogos do Rio, por ter produzido um resultado positivo de uma amostra negativa enviada à Wada.

Caso a suspensão do LBDC seja mantida, o COI garante que há outras opções para analisar as cercas de 7.000 amostras esperadas durante os Jogos, como reparti-las entres laboratórios disponíveis. A Fifa organizou um esquema parecido durante a Copa do Mundo do Brasil, em 2014, quando o laboratório do Rio, que já havia sido suspenso em 2013, ainda não tinha recuperado o credenciamento.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895