Presidente do COI não quer colocar Japão "em risco"

Presidente do COI não quer colocar Japão "em risco"

Thomas Bach prometeu não fazer a população japonesa ao risco do aumento de casos da Covid-19

AFP

Presidente do COI, Thomas Bach, prometeu "não fazer (a população japonesa) correr qualquer risco", que teme um aumento nos casos de Covid-19 com os Jogos Olímpicos

publicidade

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, prometeu nesta quarta-feira "não fazer correr (a população japonesa) qualquer risco", que teme um aumento nos casos de Covid-19 com o início dos Jogos Olímpicos em 23 de julho. Bach se reuniu com o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, e logo depois se dirigiu à imprensa para expressar seu apreço ao Japão e prometer Jogos seguros.

"Estamos fazendo todos os esforços possíveis, e o povo japonês tem todo nosso compromisso para ajudar da melhor forma possível no combate a esse vírus e para não colocar a população em risco", assegurou Bach. "Hoje posso garantir que 85% de todos os residentes da Vila Olímpica e quase 100% dos membros e funcionários do COI que vêm a Tóquio chegam vacinados", garantiu.

"Por isso, gostaria de pedir humildemente à população japonesa que receba calorosamente os atletas de todo mundo que superaram, como a população japonesa, tantos desafios", acrescentou. "Os japoneses precisam recuperar a confiança. A situação muda lentamente, mas com segurança. E estamos convencidos de que quando as pessoas perceberem o que todos nós fizemos, elas terão confiança", acrescentou Bach em declarações às principais agências de notícias.

Bach agradeceu ao público japonês por hospedar, apesar da pandemia, este evento "histórico", símbolo do esforço dos japoneses que "superaram tantos desafios", como a tripla tragédia do terremoto, tsunami e vazamento nuclear de 2011.

Nas pesquisas de opinião realizadas nos últimos meses, os japoneses expressaram consistentemente sua rejeição à realização dos Jogos Olímpicos, enquanto o governo de Suga se preparava de forma obstinada para o evento, apesar dos desafios de saúde.

Inicialmente, o governo queria permitir que os espectadores comparecessem aos Jogos. Acabou renunciando a essa ideia, após os muitos avisos de especialistas médicos que chamaram a atenção para o aumento do número diário de casos em Tóquio nas últimas semanas.

A equipe sul-africana de rúgbi de sete teve de cancelar uma concentração planejada em Kagoshima, no sudoeste do Japão, logo após chegar ao país. Uma pessoa que viajava no mesmo avião testou positivo para a Covid-19. Todos os 21 membros da equipe testaram negativo, mas 18 deles foram considerados casos de contato próximo e foram transferidos para uma instalação em Tóquio.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895