Palmeiras abre 2 a 0, cede empate, mas vence no Peru em estreia na Libertadores
patrocinado por

Palmeiras abre 2 a 0, cede empate, mas vence no Peru em estreia na Libertadores

Em partida movimentada, gol da vitória contra o Universitário saiu no último lance do jogo

AE

Palmeiras estreou com vitória

publicidade

O Palmeiras mostrou nesta quarta-feira, na sua estreia na Copa Libertadores, como se complica um jogo fácil. Abriu 2 a 0 sobre o Universitario, em Lima, poderia ter ampliado, mas passou a errar muito, sofreu o empate e depois disso sofreu com as escolhas erradas do técnico Abel Ferreira. Foi salvo por um gol de Renan no último lance e venceu por 3 a 2, em jogo válido pelo Grupo A. Na terça-feira, joga contra o Independiente del Valle.

Abel surpreendeu ao escalar o time com três zagueiros - Luan, Empereur e Gustavo Gómez. Mas não fez isso por temer mais problemas neste momento delicado com a equipe está passando por causa da falta de resultados e de bom futebol. Mesmo porque é difícil ter medo do fraco time peruano.

Com o esquema, ele teve o objetivo de adiantar os alas, e por consequência o time. Além disso, em campo em várias ocasiões Gómez se posicionava como volante, o que permitia a Danilo e a Patrick de Paula jogarem mais adiantados, buscando a área do Universitário.

Com o time bem adiantado, o Palmeiras foi para cima do donos da casa, que tinham dificuldade para se defender. Porém, apesar do posicionamento adiantado, Marcos Rocha e Victor Luís não eram tão acionados como se esperava. O time alviverde preferia as jogadas pelo meio, com boas trocas de bola. E não foi difícil chegar à vantagem, embora o gol tenha nascido de um escanteio. Na cobrança, a bola atravessou a pequena área, Empereur desviou e Danilo só tocou para as redes.

O primeiro tempo terminou 1 a 0, mas o placar poderia ter sido mais dilatado, se o Palmeiras tivesse mais precisão nas conclusões. Teve chances com Patrick de Paula, outra com Danilo e Luan acertou o travessão no último lance da etapa.

Mas o segundo gol saiu logo aos 7 minutos da etapa final. Luan fez belo lançamento para Rony, que foi ao fundo e rolou para trás para Raphael Veiga, que encheu o pé e acertou o ângulo direito de Carvallo.

Estava dando tudo certo, mas, depois disso, o Universitário assustou duas vezes, mas mais por relaxamento do Palmeiras do que por seus próprios méritos. Era um sinal do que estava por vir. Um minuto depois de Empereur ser expulso por receber o segundo cartão amarelo, em uma bola levantada na área, o grandalhão Gutiérrez ganhou no alto do baixinho Marcos Rocha e diminuiu, aos 19. A coisa ficaria pior três minutos depois, quando Danilo fez pênalti bobo ao dominar a bola com o braço na área. Gutiérrez soltou a bomba e empatou a partida.

Aí Abel bagunçou o time. Manteve os três zagueiros (Renan entrou), mas tirou Raphael Veiga, que estava bem, e colocou Scarpa na ala direita. Sorte do português, que tem estrela. No último lance, Renan aproveitou escanteio cobrado por Scarpa e livrou a cara do técnico.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895