São Paulo é multado em R$ 30 mil por gritos homofóbicos contra o Corinthians

São Paulo é multado em R$ 30 mil por gritos homofóbicos contra o Corinthians

Logo no começo da partida, no dia 15 de fevereiro, são-paulinos gritaram "bicha" quando o goleiro bateu um tiro de meta e o árbitro paralisou o jogo

AE

São Paulo foi ainda multado em R$ 2 mil por causa do atraso para voltar do intervalo no clássico com o Corinthians

publicidade

O São Paulo foi julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP) nesta segunda-feira e foi punido com uma multa de R$ 30 mil pelos gritos homofóbicos da torcida no clássico com o Corinthians, dia 15 de fevereiro, no Estádio do Morumbi, pelo Campeonato Paulista.

Logo no começo da partida, os são-paulinos gritaram "bicha" quando o goleiro Cássio bateu um tiro de meta e o árbitro Douglas Marques das Flores paralisou o jogo. O São Paulo exibiu uma mensagem no telão para alertar os torcedores e nada mais aconteceu.

O clube respondeu por infração no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala de "ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado ao preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência" e corria o risco de perder até três pontos.

Além do São Paulo, Raí, diretor executivo de futebol, e Diego Lugano, superintendente de relações institucionais, também foram julgados e punidos pelo TJD. Os dois dirigentes receberam 15 dias de suspensão pelas reclamações após o clássico. Ambos reclamaram de um pênalti de Camacho em Igor Gomes que foi ignorado pelo árbitro Douglas Marques das Flores.

Lugano foi denunciado em dois artigos CBJD (243-F e 258) porque foi atrás do árbitro no túnel de acesso ao vestiário e precisou ser contido pela polícia militar. Já Raí respondeu por infração apenas no artigo 258 ao reclamar publicamente do árbitro na entrevista após o clássico, dizendo que o São Paulo havia sido roubado pelo árbitro.

Com isso, Raí e Lugano não podem ter qualquer contato com o grupo de jogadores e comissão técnica nos dias dos jogos no estádio. A defesa do São Paulo ainda tenta liberá-los, mas, caso isso não aconteça, eles terão de acompanhar os próximos jogos dos camarotes do Morumbi.

O São Paulo foi ainda multado em R$ 2 mil por causa do atraso para voltar do intervalo no clássico com o Corinthians, que foi punido em R$ 1 mil pela mesma infração na partida.

Ingressos

O São Paulo anunciou a venda de mais de 30 mil ingressos para a partida contra a LDU, do Equador, que será realizada nesta quarta, às 21h30, no estádio do Morumbi, pela segunda rodada do Grupo D da Copa Libertadores. As entradas estão sendo comercializadas pela internet e nos postos de venda.

No dia da partida não haverá venda de ingressos no Morumbi, por determinação da Conmebol. O preço das entradas varia entre R$ 80 (Arquibancada Amarela) e R$ 420 (Morumbi Premium - Leste), sem contar os descontos dos sócios-torcedores.

Pela internet, os ingressos estão sendo comercializados no site da Total Acesso. Os postos de venda são as bilheterias do Morumbi, do estádio Anacleto Campanella (em São Caetano do Sul), da Rua Javari (Mooca) e do ginásio do Ibirapuera.

Na primeira rodada, o São Paulo perdeu de virada do Binacional, por 2 a 1, no Peru. Já a LDU venceu o River Plate por 3 a 0, em Quito. Com isso, a equipe brasileira ocupa a terceira colocação do grupo, enquanto que o time equatoriano está na liderança.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895