Santos segura empate e impede Fortaleza de ser vice-líder
patrocinado por

Santos segura empate e impede Fortaleza de ser vice-líder

Placar de 1 a 1 foi garantido após penalidade perdida nos últimos momentos

AE

Goleiro salvou no fim, em penalidade

publicidade

Em um jogo aberto e animado no Castelão, o Fortaleza perdeu a chance de assumir a vice-liderança do Brasileirão ao empatar em 1 a 1 com o Santos na noite deste domingo. O time cearense saiu de campo lamentando, já que teve dois gols anulados e perdeu um pênalti no fim da boa partida na qual o VAR foi um dos protagonistas, ao intervir em três lances importantes. Lucas Crispim foi o autor do gol dos donos da casa e Carlos Sánchez anotou o dos visitantes, ambos marcados no primeiro tempo. João Paulo brilhou no fim para evitar a derrota santista ao defender a penalidade cobrada por Lucas Crispim.

O Fortaleza tem 31 pontos e permanece em terceiro, a um do Palmeiras, e com seis a menos que o líder Atlético-MG. O Santos não progride na tabela do Brasileirão ao somar seu segundo empate seguido e aparece em nono, com 21 pontos. Ao menos foi o único paulista a tirar pontos do Fortaleza, que havia vencido Bragantino, Corinthians, São Paulo e Palmeiras na competição.

Foi bom de assistir ao primeiro tempo entre Fortaleza e Santos. Com um leve domínio do time cearense, o que se viu foi um confronto franco, de modo que um time atacava e o outro respondia na sequência, sem a cautela em excesso vista em muitos jogos e o medo de ter sua defesa vazada. O ritmo permitiu que saíssem os dois gols da primeira etapa.

Os donos da casa abriram o placar aos 22 minutos, com Lucas Crispim. O lateral-esquerdo aproveitou um desvio errado de Luiz Felipe e soltou a bomba rasteira de primeira para marcar um belo gol. Os visitantes responderam rapidamente e empataram dois minutos depois. Também houve falha do outro lado, do goleiro Marcelo Boeck, que tentou cortar cruzamento de Gabriel Pirani, mas não conseguiu. Carlos Sánchez apareceu livre para conferir de cabeça para o gol vazio.

Mais presente no ataque, o Fortaleza ainda teve duas boas chances de retomar a vantagem no placar em duas falhas de João Paulo na saída do gol. Na primeira, Marcelo Benevenuto mandou na trave. Na segunda, Matheus Vargas bateu por cima do gol. Com bom toque de bola e velocidade, o Santos se comportou bem, especialmente considerando o time que tem à disposição, mas não atacou mais gol perigo.

Na etapa final, o duelo continuou aberto, mas com ainda mais oportunidades criadas pelo Fortaleza. Foram os donos da casa que jogaram pela vitória. O Santos ficou mais com a bola, algo que preza o técnico Fernando Diniz, mas não teve profundidade nem agrediu o adversário.

Com uma estratégia oposta, o time cearense precisava de poucos toques para chegar ao gol e o fazia com intensidade e agressividade, tanto que mandou uma bola na trave, chegou a balançar as redes duas vezes e teve um pênalti a seu favor. No entanto, nenhum dos dois gols valeu e a penalidade foi desperdiçada por Lucas Crispim.

Primeiro, aos 26 minutos, David, que acabara de entrar na vaga de Wellington Paulista, ganhou do defensor, driblou João Paulo e marcou. Mas o árbitro anulou o gol depois que o VAR avisou que a bola havia batido no braço do atacante. Aos 38, foi a vez de Yago Pikachu mandar para as redes. No entanto, na jogada, a bola bate em Henríquez, que estava em posição de impedimento, assinalado com o auxílio do árbitro de vídeo.

Aos 44, a ferramenta tecnológica novamente interveio. Desta vez a favor do Fortaleza, que teve sua reclamação atendida depois que o juiz goiano Andre Luiz de Freitas Castro considerou que o defensor santista tocou com o braço dentro da área e marcou o pênalti. Na cobrança, porém, Lucas Crispim parou em João Paulo, e o goleiro do Santos, um dos destaques da equipe na temporada, evitou o revés e garantiu um ponto para o time de Fernando Diniz.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895