Se Boca chegar à final, nem a França nos ganha, diz vice do time argentino
capa

Se Boca chegar à final, nem a França nos ganha, diz vice do time argentino

Royco Ferrari demonstrou confiança na equipe após vitória sobre o Palmeiras

Por
Correio do Povo

Se Boca chegar à final, nem a seleção da França nos ganha, diz vice do Boca Juniors

publicidade

Confiante. Esta é a palavra que define o vice-presidente do Boca Juniors, Royco Ferrari. Nesta quinta-feira, o Diário Olé, da Argentina, publicou declarações ousadas do dirigente em relação à caminhada do time para a final da Libertadores, dois dias depois da vitória de 2 a 0 sobre o Palmeiras em La Bombonera.  

"Eu estou convencido de que se Boca chegar à final da Libertadores, nem a seleção da França, atual campeã do mundo, nos vence", disse em entrevista à Súper Deportivo Radio.

Os dois gols de Benedetto contribuíram para a palavra de otimismo de Ferrari, que não diminui o tom ao dizer que o atual time tem características semelhantes ao daquele que foi treinado por Carlos Bianchi no começo dos anos 2000, época em que os Xeneizes conquistaram três Libertadores (2000, 2001 e 2003). 

"Foi uma equipe copera. Diferente do que muitos jornalistas opinam, este time respeita o aspecto defensivo. É uma equipe que tem feito poucos gols. O Palmeiras não se dedicou a atacar e veio para não tomar gols e ainda não criaram situações de ataque. Neste aspecto este Boca me pareceu um time de Bianchi", explicou.  

Boca Juniors e Palmeiras voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, dia 31 de outubro. O jogo será no Allianz Parque e está agendado para as 21h45min. O Verdão deve buscar fazer 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis, ou então fazer três gols de diferença para se classificar no tempo normal. Um empate e até uma derrota com gols favorecem o clube argentino.  

Na outra semifinal, o Grêmio largou em vantagem após vencer o River Plate no Monumental de Nuñez. O jogo de volta está marcado para o dia 30 de outubro, na Arena. Para se classificar, o Tricolor precisa apenas de qualquer empate. Um resultado de 1 a 0 para os argentinos levará a decisão para as penalidades e uma vitória do River com mais de um gol dará a classificação aos argentinos.