Seleção brasileira de vôlei sentado tem gaúcha pela primeira vez

Seleção brasileira de vôlei sentado tem gaúcha pela primeira vez

Danielle Barcelos disputará torneio preparatório para o mundial

Felipe Nabinger

Danielle vestirá a amarelinha no Torneiro de Assen, na Holanda

publicidade

Medalha de bronze em setembro do ano passado, nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, a seleção feminina de vôlei sentado pode ter uma representante gaúcha nas Paralimpíadas de Paris, em 2024. Pelo menos será assim no que depender do empenho da primeira gaúcha da história a ser convocada para a seleção permanente da categoria, Danielle Barcelos, 36.

“É muito orgulho para mim ser a primeira gaúcha na história a ser convocada para a seleção de vôlei sentado. É muito gratificante chegar onde cheguei", conta a atleta, que participou do Dia do Desafio nesta quarta-feira, no Largo Glênio Peres, em Porto Alegre. 

Danielle vestirá a amarelinha no Torneiro de Assen, na Holanda, entre os dias 27 de junho e 4 de julho. A competição é preparatória para o mundial da categoria em novembro, na Bósnia. “Já fui convocada para períodos de treinamento, mas é a primeira competição oficial para a qual fui chamada”, celebra. A atleta, que treina com a Associação Esporte+, nas dependências do Grêmio Náutico União, sabe que é a grande oportunidade de se firmar no time. "É minha chance de garantir uma vaga no mundial e nas Paralimpíadas de Paris, em 2024, que já está logo aí”, projeta.

Ela participou de um bate-papo promovido pelo Sesc/RS durante o Dia do Desafio. Além dela, outros atletas paralímpicos como Fernando Boeira (vôlei sentado/Associação Esporte+), Vanderson Chaves e Mônica dos Santos (esgrima em cadeira de rodas/Grêmio Náutico União) e José Arthur Quines Furtado (natação/Associação Esporte+)  estiveram na atividade.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895