Cristiane fará exames no Brasil após se lesionar na França, diz médico da seleção
capa

Cristiane fará exames no Brasil após se lesionar na França, diz médico da seleção

Nemi Sabeh Jr ainda comentou sobre as lesões de Marta e Formiga

Por
AE

Cristiane deixou o gramado carregada pelos médicos da seleção brasileira

publicidade

Depois de se lesionar e precisar ser substituída no primeiro tempo da prorrogação do confronto entre Brasil e França, no último domingo, em Le Havre, pelo Mundial Feminino, Cristiane será submetida a novos exames em solo brasileiro para saber da gravidade do problema. A informação foi confirmada por Nemi Sabeh Jr., médico da seleção feminina de futebol, que é cirurgião ortopedista.

A atacante precisou deixar o campo amparada por causa de dores na coxa e não pôde mais ajudar o Brasil na continuidade do tempo extra do duelo, no qual as francesas marcaram o gol que garantiu o triunfo por 2 a 1 sobre a equipe comandada por Vadão, eliminada nas oitavas de final da competição realizada em solo francês.

"Ela sentiu uma dor na coxa esquerda, no músculo quadríceps, e não conseguiu continuar a partida. Fiz uma avaliação clínica, mas o ideal é aguardar de 24 a 48 horas para ver a evolução e, então, fazer exames complementares quando chegar ao Brasil para entender o estado real da lesão", explicou Nemi Sabeh Jr.

Cristiane é jogadora do São Paulo e foi apenas uma das várias atletas que sofreram por causa de lesões durante o Mundial e às vésperas do torneio. Marta, por exemplo, se machucou em Portimão, cidade portuguesa onde a equipe nacional realizou o seu período final de preparação antes de viajar até a França. A estrela, eleita por seis vezes a melhor do mundo pela Fifa, ficou fora da estreia brasileira no Mundial, diante da Jamaica, por não ter conseguido se recuperar plenamente de uma lesão na coxa esquerda.

"Para a sua recuperação, o protocolo indicado foi fortalecimento pra adaptação da musculatura e resistência para o estímulo de performance. Além disso, o critério adotado para o seu retorno foi progressivo. Participação de 45 minutos no seu primeiro jogo, e 15 adicionais na sua segunda partida", disse o médico da seleção, se referindo ao confronto diante da Austrália, pela segunda rodada da fase de grupos do torneio, e ao jogo contra a Itália, na qual Marta marcou o gol de pênalti que assegurou o triunfo das brasileiras por 1 a 0 e a consequente classificação às oitavas de final.

Já a meio-campista Formiga, que ficou fora da partida diante das italianas por estar suspensa, acabou lesionando o tornozelo também contra a Austrália. Neste último domingo, ela acabou sendo substituída durante o segundo tempo na derrota para a França. Após sofrer uma entorse, a veterana de 41 anos teve uma lesão parcial em um ligamento, mas conseguiu ficar em condições de encarar as francesas.

"O tratamento consistiu em eletroterapia, analgesia e anti-inflamatório. E fortalecimento muscular em cadeia cinética aberta para reabilitação. Formiga chegou a fazer trabalho em campo, como corrida, para estímulo, além de treinar sábado com o grupo antes da partida contra a França", afirmou Nemi Sabeh Jr. ao lembrar de como foi a recuperação da jogadora para poder atuar nas oitavas de final do Mundial.