Temporada de 2020 da Fórmula 1 pode começar na Europa e sem público
capa

Temporada de 2020 da Fórmula 1 pode começar na Europa e sem público

Afirmação foi feita pelo diretor esportivo da competição, Ross Brawn

Por
AFP

Declaração foi dada por Ross Brawn nesta quarta-feira

publicidade

A temporada de Fórmula 1 de 2020, que no momento está suspensa devido à pandemia do novo coronavírus, poderá começar com uma corrida na Europa sem a presença do público, afirmou o diretor esportivo da competição Ross Brawn nesta quarta-feira.

"Do nosso ponto de vista, as condições parecem favoráveis para que o início da temporada seja disputado na Europa, e isso pode ser com um evento com portões fechadas. Poderíamos oferecer um ambiente fechado, onde as equipes chegassem de avião fretado, as levaríamos ao circuito para garantir que todos fossem testados para o vírus e que ninguém estivesse em risco", disse Brawn no canal Sky Sports.

"Teríamos uma corrida sem espectadores. Não é o ideal, mas é melhor do que nada", acrescentou o diretor esportivo da F1, lembrando que milhões de pessoas já têm o hábito de assistir corridas pela televisão.

"Poder apresentar um evento esportivo e distrair as pessoas seria extremamente benéfico durante a crise pela qual estamos passando".

As primeiras nove corridas da temporada de Fórmula 1 de 2020 foram canceladas (Austrália e Mônaco) ou adiadas e ainda sem data definida (Bahrein, China, Vietnã, Holanda, Espanha, Azerbaijão e Canadá).

Após o adiamento do GP do Canadá anunciado na terça-feira, a primeira corrida agendada agora é o GP da França, marcado para os dias 26 e 28 de junho no circuito de Paul Ricard.

Para Brawn, a temporada pode consistir em 18 ou 19 corridas, se começar em julho. "Para o título mundial, são necessárias no mínimo oito corridas, de acordo com os estatutos da FIA. Esse mínimo pode ser alcançado se começarmos em outubro. Será então quando chegarmos ao ponto crítico", disse o dirigente, que também não descarta que a temporada seja prolongada até 2021.