Torcida atenta a Cavani e Suárez vibra com grande jogo de Uruguai e Japão na Arena
capa

Torcida atenta a Cavani e Suárez vibra com grande jogo de Uruguai e Japão na Arena

Centroavante do Barcelona creditou empate a erros cometidos no primeiro tempo

Por
Rafael Peruzzo

Cavani ficou um pouco abaixo, mas Luisito não desapontou e deixou sua marca

publicidade

Quem foi à Arena acompanhar o duelo entre Uruguai e Japão pelo Grupo C da Copa América não se decepcionou. Bem pelo contrário, certamente deixou o estádio plenamente satisfeito com o que viu em campo. As duas equipes foram aplaudidas quando o árbitro apitou o final da partida, que terminou empatada em 2 a 2. A grande atração da noite era a dupla de ataque do Uruguai. Suárez e Cavani despertavam a curiosidade dos torcedores. E ambos corresponderam à expectativa daqueles que foram ver uma das melhores duplas de atacantes do futebol mundial na atualidade.

Cavani ficou um pouco abaixo do habitual, mas sempre que tocava na bola mostrava todo seu repertório. No primeiro tempo, desferiu um chute potente com a perna esquerda que parou no travessão. Além de ter sofrido o pênalti bem convertido por Suárez. O centroavante do Barcelona fez o que dele se esperava: gols. Marcou os dois da Celeste Olímpica e só não fez o terceiro porque a bola, caprichosamente, foi de encontro ao travessão após uma finalização de cabeça na parte final de jogo. “Erramos muito, principalmente no primeiro tempo. O Japão é um time muito rápido, elevaram a qualidade do jogo. Foi um empate, mas o Uruguai criou mais oportunidades, então fica um gosto amargo. Precisamos corrigir os problemas e manter o pensamento positivo”, comentou Suárez.

“Cometemos muitos erros no primeiro tempo. No segundo tratamos de ficar com a bola e controlamos a partida. O time apresentou muita luta, tivemos chances para ganhar. Não foi fácil, ficamos duas vezes atrás no placar, o Japão é muito boa equipe”, avaliou o técnico do Uruguai, Oscar Tabarez. O meia Arrascaeta, que atua no futebol brasileiro, projetou o confronto com o Chile, o último na fase de grupos e que vai valer a liderança do Grupo C. As duas seleções jogam na terça-feira, no Maracanã. “Vai ser um jogo pegado, difícil. Temos que confiar no nosso elenco, o grupo é muito qualificado”, destacou o atleta do Flamengo.