Torcida do Corinthians faz protesto e cobra até os principais ídolos

Torcida do Corinthians faz protesto e cobra até os principais ídolos

Goleiro Cássio, lateral-direito Fagner, zagueiro Gil e atacante Jô, ídolos recentes do clube, foram alvos na manifestação

AE

Viaturas da PM estiveram na porta do CT acompanhando o protesto, que foi pacífico

publicidade

Torcedores organizados do Corinthians protestaram nesta terça-feira, em frente ao portal principal do CT Joaquim Grava, e não pouparam ninguém. Até o goleiro Cássio, o lateral-direito Fagner, o zagueiro Gil e o atacante Jô, ídolos recentes do clube, foram alvos na manifestação.

Viaturas da Polícia Militar estiveram na porta do CT, com os agentes apenas acompanhando o protesto, que foi pacífico - ao contrário da cobrança realizada em 14 de setembro, quando jogadores tiveram de correr para entrar no ônibus do clube estacionado do lado de fora do Aeroporto Internacional de Guarulhos.

"Cássio, Fagner, Gil, Avelar, Jô... serão cobrados todos, sim" , dizia uma das faixas penduradas pelos torcedores na entrada do CT. Eles também cantaram: "Alô, Cássio, presta atenção, sua história não é maior do que a do coringão". O goleiro está no clube desde 2012 e foi um dos heróis dos títulos da Libertadores e do Mundial de 2012.

Outra faixa ainda cobrava a contratação de um técnico. Tiago Nunes foi demitido em 11 de setembro e, desde então, o treinador do sub-20, Dyego Coelho, assumiu o comando da equipe de forma interina.

Veja Também

O presidente Andrés Sanchez foi bastante cobrado no protesto desta terça-feira. O ex-diretor de futebol e atual candidato a presidente pelo grupo de situação, Duílio Monteiro Alves, também foi lembrado pelos torcedores.

O Corinthians está em 14º lugar no Campeonato Brasileiro, com 14 pontos, apenas dois a mais do que o Coritiba, o primeiro time da zona de rebaixamento. Na próxima rodada, a equipe alvinegra tem pela frente o Santos na Neo Química Arena. Os torcedores cantaram "amanhã é guerra", em referência ao clássico desta quarta.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895