capa

Uefa confirma investigação e Manchester City pode ficar fora da Liga dos Campeões

Clube teria burlado regras do Fair-Play Financeiro

Por
AE

City pode ser punido e ficar fora da Liga dos Campeões

publicidade

A Uefa confirmou nesta quinta-feira que investiga o Manchester City por suspeitas de infrações às regras do Fair-Play Financeiro. A entidade que rege o futebol europeu enviou o caso para um painel de juízes, que podem punir o atual bicampeão inglês até com a exclusão da Liga dos Campeões da próxima temporada. De acordo com a Uefa, o caso será analisado pela câmara adjudicatória pelo Organismo de Controle Financeiro dos Clubes (CFCB, na sigla em inglês), responsável por julgar times acusados de infringir o Fair-Play Financeiro. A entidade não revelou se enviou alguma recomendação à câmara. Não há prazo para o fim da investigação.

O investigador que será responsável pelo caso será Yves Leterme, ex-primeiro-ministro da Bélgica. Outro integrante do grupo é o português José Narciso da Cunha Rodrigues, que também faz parte da Corte Europeia de Justiça, sediada em Luxemburgo. O Manchester City é acusado de quebrar as regras relativas ao faturamento, ao gasto com transferências de jogadores e aos salários. Uma das possíveis punições, em caso de condenação, é a exclusão da próxima edição da Liga dos Campeões, a principal competição de clubes do mundo.

O painel de investigação de finanças dos times da Uefa abriu a investigação em março, levando em conta as informações publicadas pelo Football Leaks, iniciativa jornalística coletiva. Documentos internos do City e e-mails entre executivos do clube foram publicados por uma série de reportagens lideradas pela revista alemã Der Spiegel. De acordo com as reportagens, integrantes da diretoria do clube enganaram a Uefa por vários anos por ocultar que parte das receitas, que deveriam vir de acordos de patrocínio, vinham na verdade dos próprios proprietários do clube. As regras da Uefa limitam a injeção de dinheiro por parte dos donos.

Há suspeitas de que estes documentos, que foram a fonte das reportagens, foram roubados ou mesmo alvo de hackers. Mas o Manchester City nunca contestou a autenticidade deles. Nesta quinta, porém, o clube se manifestou logo após o anúncio da Uefa. E classificou o caso de "insatisfatório" e chamou o procedimento de "hostil". "O Manchester City está totalmente confiante em um resultado positivo quando o assunto é considerado por um órgão judicial independente. A acusação de irregularidades financeiras continua a ser totalmente falsa e a consulta do CFCB ignora um conjunto abrangente de provas irrefutáveis fornecidas pelo Manchester City FC à câmara", afirmou o clube, em nota.

No início desta semana, a agência de notícias The Associated Press informou que autoridades do clube não estavam cooperando adequadamente com os investigadores da Uefa. Se punido, o clube inglês poderá recorrer à Corte Arbitral do Esporte.