Arrecadação federal salta 11% e alcança R$ 548 bilhões no 1º trimestre

Arrecadação federal salta 11% e alcança R$ 548 bilhões no 1º trimestre

Recolhimento de R$ 164 bilhões registrado no mês de março foi o maior da história para a série corrigida pela inflação, diz Receita

R7

publicidade

A arrecadação do governo federal alcançou R$ 164,147 bilhões em março, alta de 8,7% na comparação com fevereiro, de acordo com informações divulgadas nesta quinta-feira pela Receita Federal. Com a alta, os recolhimentos somam R$ 556,768 bilhões no primeiro trimestre, resultado 11,08% superior ao apurado no mesmo período do ano passado. 

Na comparação anual, o resultado de março corresponde a uma alta real de 6,92%. Trata-se da maior arrecadação para o mês na série histórica da Receita corrigida pela inflação, iniciada em 1995. De acordo com o Fisco, a alta observada no período pode ser explicada, principalmente, pelo crescimento dos recolhimentos, principalmente de IRPJ (Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas) e CSLL (Contribuição Social Sobre o Lucro). Sem considerar os pagamentos atípicos, haveria um crescimento real de 8,1% na arrecadação do período.

Em março, o IRPJ e CSLL totalizaram uma arrecadação de R$ 34.158 milhões, com crescimento real de 24,73%. Esse desempenho é explicado pelo acréscimo de 35,5% na arrecadação da estimativa mensal e de 27,43% na arrecadação da declaração de ajuste anual.

No trimestre, o imposto para empresas e as contribuições sobre o lucro líquido totalizaram R$ 147,026 milhões, alta real de 22,9%. O desempenho é explicado pelos acréscimos reais de 84,42% na arrecadação relativa à declaração de ajuste dos impostos, e de 14,97% na arrecadação da estimativa mensal.

Veja Também

O Fisco ressalta, no entanto, que é importante observar que houve pagamentos atípicos de, aproximadamente, 3 bilhões, por empresas ligadas ao setor de commodities (matérias-primas com cotação internacional).

O IRRF - Rendimentos do Trabalho teve arrecadação de R$ 16.059 milhões, com acréscimo real (acima da inflação) de 17,99%. Esse resultado pode ser explicado pelos acréscimos reais de 5,8% na arrecadação do item “Rendimentos do Trabalho Assalariado”, de 98,61% na arrecadação do item “Participação nos Lucros ou Resultados – PLR” e de 29,80% na arrecadação do item “Aposentadoria do Regime Geral ou do Servidor Público”.

Já a Receita Previdenciária teve arrecadação de R$ 42.417 milhões, com alta real de 3,99%. Esse resultado pode ser explicado pelo aumento da massa salarial por meio da criação de novos postos de trabalho e pelo aumento real de 27% na arrecadação do Simples Nacional em relação à março de 2021.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895