Conflito da Ucrânia gera inflação e ameaça crescimento do PIB, diz Banco Central

Conflito da Ucrânia gera inflação e ameaça crescimento do PIB, diz Banco Central

Relatório Trimestral de Inflação vê guerra no Leste Europeu como "um novo choque de oferta" com impacto nos preços

R7

Conflito da Ucrânia gera inflação e ameaça crescimento do PIB, diz Banco Central

publicidade

O Banco Central (BC) afirmou nesta quinta-feira (24), em seu RTI (Relatório Trimestral de Inflação), que os conflitos no Leste Europeu elevaram as projeções de altas dos preços e traz uma sinalização negativa para a atividade econômica no curto prazo. De acordo com o BC, a avaliação ocorre devido à elevação dos preços de commodities (matérias-primas) e dos preços de produtos importados desde a escalada do conflito entre Rússia e Ucrânia.

"Embora atenuada pela recente apreciação do real, (a guerra) pode ser considerada um novo choque de oferta do ponto de vista da economia doméstica, com impacto altista sobre a inflação e negativo sobre a atividade econômica no curto prazo", destaca o relatório.

Acompanhe o avanço das tropas russas na Ucrânia a cada dia

Mesmo diante do cenário adverso, o BC manteve a previsão de crescimento de 1% do PIB (Produto Interno Bruto) — soma de todos bens e serviços produzidos no país — neste ano e ressalta que a alta no preço das commodities ocorreu em paralelo com a valorização de 10,3% do real, o que contribuiu para mitigar parcialmente a escalada da inflação.

A avaliação da autoridade monetária também reconhece que os dados recentes do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) seguem em "patamar incompatível com o cumprimento da meta de inflação". "Os aumentos são disseminados e a composição do índice foi desfavorável, com altas relevantes de preços mais associados ao processo subjacente de inflação", observa o BC.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895