Preço do aluguel em Porto Alegre tem alta de 1,92% em janeiro

Preço do aluguel em Porto Alegre tem alta de 1,92% em janeiro

Valor médio é de R$ 32,74 por metro quadrado

Correio do Povo

publicidade

O mercado imobiliário em Porto Alegre começou 2024 com aumento dos preços dos novos contratos de aluguel, segundo o Índice de Aluguel QuintoAndar Imovelweb, divulgado nesta quarta-feira. A alta em janeiro, em comparação com dezembro, foi de 1,92%, com o preço médio de R$ 32,74 por metro quadrado.

É o sétimo mês consecutivo de alta nos preços. Entre os principais fatores para mais um aumento registrado está a alta temporada de procura de aluguéis. Como muitos contratos vencem no final do ano, há uma demanda maior por aluguel nos primeiros meses.

Entre os tipos de dormitório, os imóveis de dois quartos se destacaram em janeiro. O aumento foi de 2,16% em comparação com dezembro. No último mês, o preço médio do m² desses imóveis foi de R$ 31,83.

Segundo o indicador, a alta acumulada em 12 meses ficou em 13,35% em janeiro. Em comparação com os últimos meses, o cenário se mantém praticamente estável.

Desde fevereiro do ano passado, os preços têm permanecido na faixa de 13% a 14% na variação anual. “O mercado de Porto Alegre começa 2024 de uma forma bastante parecida com a do final do ano passado, com uma alta consistente e um crescimento dos preços espalhado por várias regiões da cidade”, destaca Pedro Capetti, especialista em dados do Grupo QuintoAndar.

Apesar do recorde nos valores, os consumidores ainda encontram espaço para negociar. Dados do Índice de Aluguel QuintoAndar Imovelweb mostram que o desconto médio das transações subiu em janeiro para 3,8% - 0,2 ponto percentual acima do valor registrado em dezembro de 2023.

“Há espaço para negociar e conseguir o melhor preço na hora de alugar. Para quem deseja barganhar, começar a busca mais cedo aumenta a chance de conseguir um desconto melhor”, diz Capetti.

Bairros que mais valorizaram nos últimos 12 meses

Auxiliadora: 54%

Mont'Serrat: 44,9%

Partenon: 37,5%

Vila Ipiranga: 35,7%

Jardim Itu-Sabará: 31,7%

Cidade Baixa: 31,6%

Cristo Redentor: 30,1%

Nonoai: 27,8%

Rio Branco: 37,7%

Azenha: 25,6%


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895