Produção industrial registra queda de 0,6% em julho, aponta IBGE

Produção industrial registra queda de 0,6% em julho, aponta IBGE

Bens de capital e bens de consumo duráveis registraram as taxas negativas mais acentuadas

Correio do Povo

publicidade

A produção industrial no país recuou 0,6% em julho na comparação com junho. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo  Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação a julho de 2022, o declínio é ainda maior: 1,1%.

Dos 25 ramos pesquisados, 15 mostraram recuo na produção em relação ao mês de junho. Entre as atividades com desempenhos negativos estão os de veículos automotores, reboques e carrocerias (-6,5%), indústrias extrativas (-1,4%), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-12,1%) e máquinas e equipamentos (-5,0%). Outras contribuições negativas relevantes vieram de confecção de artigos do vestuário e acessórios (-8,0%), de produtos de metal (-4,8%) e de produtos de borracha e de material plástico (-3,8%).

Três das quatro grandes categorias econômicas obtiveram queda, com bens de capital (-7,4%) e bens de consumo duráveis (-4,1%) com as taxas negativas mais acentuadas em julho de 2023, ambas acumulando perda de 9,5% em dois meses consecutivos de queda na produção, em comparação ao mês de junho.

Em comparação com julho de 2022, bens de capital registrou a redução mais acentuada entre as grandes categorias econômicas, com 16,9% de queda. Os segmentos de bens de consumo duráveis, com redução de 3,5%, e bens de consumo semi e não duráveis -0,3%, também mostraram taxas negativas.

No acumulado do ano, frente a igual período de 2022, o setor industrial assinalou redução de 0,4%, com resultados negativos em duas das quatro grandes categorias econômicas, 17 dos 25 ramos, 47 dos 80 grupos e 55,5% dos 789 produtos pesquisados.

 


Se você é um empreendedor atingido pelas cheias, saiba como recomeçar

Sebrae RS apurou que 600 mil micro e pequenas empresas foram afetadas diretamente em todo o Estado

Mais Lidas





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895