Turismo e Carnaval injetam R$ 2 bi na economia do RS

Turismo e Carnaval injetam R$ 2 bi na economia do RS

Estimativa para fevereiro leva em conta viagens e movimento do comércio com as festividades

Nicole Silva

Arroio do Sal é um dos municípios do Litoral Norte que atrai visitantes devido à programação durante a folia

publicidade

Se para algumas pessoas o início do ano representa um momento de descanso, para outras é a hora de traçar estratégias de vendas. Para os comerciantes, o segundo mês do ano indica grande movimento e alta no faturamento, que tem previsão de R$ 2 bilhões no RS. O período é um dos responsáveis por movimentar a economia do Brasil, e o Estado não fica de fora dessa dinâmica.

A previsão dos setores está alinhada com a época de férias e a movimentação em razão do Carnaval. A expectativa de lucro varia entre as cidades onde a tradicional festa acontece, mas já são esperados impactos positivos especialmente para atividades de turismo e lazer. Uma estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aponta que o Carnaval deste ano deve movimentar, ao menos, R$ 9 bilhões em todo o país.

Os números representam 10% a mais do que em 2023 que, segundo a entidade, movimentou R$ 8 bilhões. A pesquisa intitulada “Tendências de Turismo” realizada pelo MTur, revelou que cerca de um terço dos brasileiros previa realizar uma viagem no Carnaval.

Atrativos no Estado

Seja do time do bloquinho de rua, do que vai viajar ou daquele que curte o momento para descansar, o Estado tem atrativos. A Secretaria do Turismo do RS estima que, ao menos, 200 mil visitantes devem procurar as cidades gaúchas até o fim de fevereiro. A estação é responsável por um grande fluxo, especialmente para as praias.

Contudo, as perspectivas mostram que outros lugares já estão entrando no radar da programação de férias. Os bloquinhos de rua já se consolidaram como produto turístico. Se destacam, por exemplo, as festas em Porto Alegre e em Pelotas.

Uma estimativa realizada pelo Observatório de Turismo do Rio Grande do Sul, com base em dados da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE e na projeção da CNC, revela que o RS deve faturar mais de R$ 2 bilhões com atividades turísticas somente em fevereiro, o que corresponde a um aumento de 10% com relação a 2023. A pesquisa levou em conta atividades como serviços, hospedagem, alimentação e transportes.

O coordenador do Observatório, Antônio Lima, afirma que fevereiro é tradicionalmente um destaque em termos do ingresso de estrangeiros no RS. “Em 2023, foram aproximadamente 212 mil turistas, com 83% argentinos, 14% uruguaios e 3% de outras nacionalidades.” Em função da folia, Lima ressalta que municípios do Litoral Norte oferecem programação e, por isso, estão entre os preferidos.

Entretanto, há opções para fugir do agito. Lima salienta que o RS se consolida como destino para quem busca tranquilidade, com experiências próximo da natureza, como os cânions em Cambará do Sul, por exemplo, ou visitação a vinícolas na Serra, especialmente no período da colheita da uva.

Bares e restaurantes projetam incremento

Os dias de festividades no Carnaval também são motivo de expectativa pelo consumo nos estabelecimentos locais. Uma pesquisa da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) aponta que quatro em cada cinco bares e restaurantes gaúchos devem estar abertos nesses dias de folia, representando 79% dos estabelecimentos no Estado. Destes, 64% esperam faturar mais do que em 2023.

De acordo com a entidade, a data é responsável por elevar a expectativa de faturamento, principalmente no Litoral Norte, onde costuma registrar maior público. Esse cenário pode ser explicado quando se observa que as altas temperaturas atravessam justamente os dias de festa. Com isso, quem não conseguiu ir à praia, aproveita para explorar os espaços da cidade.

“O setor tem se movimentado nesse sentido de buscar eventos”, relata o presidente da Abrasel no RS, João Melo. Ele explica que os bares e restaurantes na Capital estão buscando alternativas neste período, a fim de atrair aquelas pessoas que ficaram na cidade. Desde a realização de eventos, cardápio especial, atrações musicais e decoração festiva, são diversos incrementos para fisgar aquele que quer curtir um “feriado” mais tranquilo.

A geração de postos de trabalho também se aquece neste período. Com o aumento na demanda dos estabelecimentos nos dias de folia, existe um movimento na criação de vagas, em sua maioria temporárias, onde se destaca a busca por trabalhadores como cozinheiros, garçons, profissionais de limpeza, entre outros.

Seguindo as expectativas de algumas entidades, como a Abrasel, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SMDET) de Porto Alegre também aposta na geração de novos postos de trabalho em relação a janeiro. A média histórica revela um crescimento médio acima de 1,3 mil vagas nos últimos quatro anos, para o mês de fevereiro. A SMDET estima forte retomada na geração de emprego da Capital, com projeções que apontam para um crescimento acima de 100% em relação ao mês anterior. Esse movimento geralmente ocorre sem aspectos sazonais e, por isso, privilegia a geração de trabalho permanente.

*Sob supervisão das jornalistas Simone Schmidt e Karina Reif.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895