Álcool em gel e as máscaras de proteção seguem com comercialização em alta nas farmácias

Álcool em gel e as máscaras de proteção seguem com comercialização em alta nas farmácias

Obrigatoriedade para entrar em locais fechados e a higienização fazem com que clientes sigam buscando os itens

Cláudio Isaías

Busca por álcool gel segue em alta nas farmácias de Porto Alegre

publicidade

O álcool em gel e as máscaras de proteção seguem incluídas nos itens de compras dos clientes nas farmácias de Porto Alegre. Os funcionários de redes como Associadas, São João e Panvel, no Centro Histórico, destacaram que além da aquisição de medicamentos ou itens de higiene, o público acaba por adquirir os dois produtos quando fazem as compras nos estabelecimentos.

Na manhã desta terça-feira, na Farmácias Associadas, na rua dos Andradas, um motoboy estacionou sua motocicleta para comprar duas máscaras. "Tenho que entrar em diversos prédios e nestes locais o uso da máscara é obrigatório. Acabei saindo para trabalhar sem o item de proteção contra a Covid-19", ressaltou o condutor Sérgio Pereira. 

Os funcionários do local disseram que, em razão da pandemia do coronavírus, a procura pelo álcool em gel aumentou mais de 80% a 90% no meses de março, abril e maio. "Tanto o álcool em gel quanto a máscara são produtos que se incorporaram ao cotidiano das pessoas", destacou uma atendente da farmácia.

No começo da pandemia da Covid-19, o produto não estava sendo encontrado pelos consumidores nas farmácias. Ela explicou que hoje são comercializadas uma média de 10 a 15 frascos de álcool em gel por dia. Os preços variam de R$ 8,99 a R$ 17,00.

Na farmácia São João, uma atendente destacou que passou aquela correria pelo produto, principalmente nos meses de março a maio. "Chegou a faltar álcool em gel nas prateleiras e tínhamos pessoas que passavam quase todos os dias perguntando quando receberíamos o produto", acrescentou.    

Em nota, a Panvel informou que as pessoas estão conscientes da importância dos cuidados para se protegerem da Covid-19, usando máscaras e higienizando as mãos. A empresa informou que os consumidores permanecem adquirindo produtos, a diferença é que agora não há mais receio que faltem. Não há o movimento de compra de estoque dos produtos, mas sim para uso imediato.

A Panvel explicou que conseguiu equilibrar bem os estoques, suficientes para atender a oferta tanto nas vendas das lojas físicas quanto pelos canais digitais como no site, no aplicativo ou no canal de voz, Alô Panvel.

Em razão da procura pela população do álcool em gel, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou no final do mês de março as farmácias de manipulação a prepararem e venderem álcool gel de forma direta para o público. Na época, com a medida, a agência pretendeu ampliar o acesso da população aos produtos, considerando o alto número de farmácias de manipulação em todo o Brasil. A autorização fez parte das ações de proteção para o enfrentamento da emergência de saúde em decorrência da pandemia do coronavírus.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895