Após 30 dias fechado, Mercado Público retoma atendimento ao público em Porto Alegre

Após 30 dias fechado, Mercado Público retoma atendimento ao público em Porto Alegre

Mercado do Bom Fim também recebeu clientes nesta sexta-feira

Claudio Isaías

Estabelecimento começou a funcionar por volta das 8h nesta sexta-feira

publicidade

O Mercado Público de Porto Alegre registrou uma grande movimentação de clientes nesta sexta-feira após permanecer 30 dias fechado. Desde cedo, o público formou filas no Largo Glênio Peres.

O estabelecimento comercial começou a funcionar por volta das 8h. Uma equipe de vigilantes tratou de organizar a fila e de verificar a temperatura de quem entrava no prédio e também de exigir o uso da máscara e álcool em gel. Também foi feita a contagem das pessoas que entravam no local para fazer compras a fim de que não houvesse superlotação.

A dona de casa Elisa Santiago, residente na rua Riachuelo, afirmou que compraria carnes (costela e carne de porco) e verduras para o churrasco de domingo. "Adoro adquirir os produtos neste local que é o melhor centro de compras da cidade", ressaltou. Já no Mercado do Bom Fim, a circulação de pessoas foi mais tranquila e não houve aglomerações e nem foram registradas filas.

Alívio 

A presidente da Associação dos Permissionários do Mercado Público, Adriana Kauer, disse que a reabertura foi um alívio para os comerciantes. "Estávamos vivendo uma época muito difícil com o fechamento. Construímos um protocolo de segurança com responsabilidade para atender o público. Pedimos que os clientes tragam uma lista de casa para que não ocorra aglomerações", explicou. Ela afirmou que as bancas tiveram prejuízos com o fechamento e por isso é muito importante que esteja todo aberto.

Foto: Guilherme Almeida

A entrada do público foi realizada pelo Largo Glênio Peres e pela avenida Borges de Medeiros. Todos dentro do Mercado Público, funcionários e clientes, estavam com máscara. Outra dica de Adriana kauer é que neste momento de pandemia apenas uma pessoa vá ao Mercado Público para realizar as compras, das 8h30min às 18h. Embora o decreto que autorizou a abertura até domingo, tenha permitido o funcionamento 24 horas por dia, os comerciantes estipularam o período em que estarão recebendo o público.

Para garantir a segurança de consumidores e permissionários, a entrada ocorre apenas pelas portas localizadas na avenida Borges de Medeiros e Praça XV de Novembro e há controle de acesso de até 25% da capacidade do Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI), que permitirá, no máximo, 325 consumidores no interior do prédio por vez. Além disso, não é permitido o ingresso de clientes no interior das bancas e os restaurantes poderão atender apenas nos formatos delivery e take away. Há oferta de álcool em gel nas duas entradas estabelecidas e aferição de temperatura de clientes e funcionários. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895