Após incêndio, DetranRS passa a atender em sede provisória

Após incêndio, DetranRS passa a atender em sede provisória

Autarquia ocupa as dependências da Procergs, que fica ao lado do Centro Administrativo do Estado

Correio do Povo

Diretor-geral do órgão, Enio Bacci, destacou a ininterrupção dos serviços

publicidade

O Departamento Estadual de Trânsito (DetranRS) já está com sede provisória, após o incêndio e desabamento do prédio da Secretaria de Segurança Pública, em Porto Alegre, no dia 14 deste mês. Na tragédia da SSP, dois bombeiros militares perderam a vida. A autarquia fica no quinto, sexto e sétimo andares.

O DetranRS está funcionando agora nas dependências da Procergs-Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio Grande do Sul, que fica ao lado do Centro Administrativo do Estado. Já as viaturas estão no antigo Centro de Documentação e Imagem (Cedoc). localizado na avenida Aparício Borges, enquanto a Central de Atendimento foi instalada na antiga sala de provas no Centro Administrativo do Estado

Conforme o DetranRS, o público não teve maiores impactos devido à ampla rede de credenciados, servidores em teletrabalho desde o início da pandemia e grande parte dos serviços virtualizados. No entanto, a exceção ficou com a perda de cerca de 95 mil processos ativos em papel que estavam no prédio da SPP.

Por enquanto, as notificações de autos de infração e autos de aplicação de penalidades seguem com o CEP antigo e serão redirecionadas pelos Correios para envio ao DetranRS. Os processos queimados seguem com prazos suspensos até decisão da Procuradoria-Geral do Estado.

“Apesar da preocupação com os bombeiros desaparecidos e do luto pela casa que restou em escombros, o DetranRS não parou. Na manhã seguinte ao incêndio as áreas já trouxeram o inventário dos danos e planos de contingência. A Procergs, nossa parceira desde sempre, nos recebeu com muito carinho em sua casa, pelo que somos muito gratos”, declarou o diretor Enio Bacci.

“Vamos agora recomeçar com mais força e a intenção de virtualizar 100% dos serviços. Gostaríamos de nos solidarizar com as famílias dos heróis que morreram em serviço e com a corporação, que trabalhou incansavelmente para salvar vidas e encontrar os colegas desaparecidos. Nossa eterna gratidão e respeito por esses profissionais", complementou. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895