Apesar de aumento do contágio por Covid-19, ocupação de UTIs no RS apresenta estabilidade

Apesar de aumento do contágio por Covid-19, ocupação de UTIs no RS apresenta estabilidade

Estado registrou 1.318 casos da doença a mais do que o verificado em setembro

Felipe Samuel

Apesar de aumento do contágio por Covid-19, ocupação de UTIs no RS apresenta estabilidade

publicidade

Com avanço da vacinação contra o novo coronavírus, as internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) apresentam estabilidade no Rio Grande do Sul desde a segunda quinzena de setembro. Até o começo da noite desta terça, 1.955 pacientes estavam hospitalizados em estado grave, o que representava uma taxa de ocupação média de 59,2%. Do total, 453 tinham diagnóstico positivo para Covid-19.

Há quase um mês, no dia 6 de outubro, o total de pacientes em estado grave totalizava 1.953. Apesar do cenário de estabilização, após quatro meses seguidos de queda dos casos confirmados para a Covid-19, em outubro, conforme dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES), o Estado voltou a registrar crescimento do contágio, com 26.156 diagnósticos positivos para doença. São 1.318 casos a mais do que o verificado em setembro (24.838), o que representa aumento de 5,31% em relação a setembro.

Veja Também

Os dados da SES corroboram a avaliação da plataforma Monitora Covid-19, da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), que aponta tendência de crescimento de casos de coronavírus nas últimas duas semanas. Embora a disseminação do vírus no RS apresente elevação, as internações em UTIs mantêm estabilidade desde outubro, que registrou média de 457 hospitalizações por Covid-19. Em Porto Alegre, com 653 pacientes, a taxa média de ocupação de UTIs era de 75,58%. Do total, 110 tinham diagnóstico positivo para Covid-19.

Conforme monitoramento da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o Hospital Ernesto Dornelles operava acima da capacidade, com 127,5% de ocupação. Outras cinco instituições tinham ocupação de leitos graves igual ou superior a 80%. Com 64 pacientes em estado grave - de um total de 67 leitos disponíveis -, o Hospital Nossa Senhora da Conceição tinha 95,52% dos leitos preenchidos. Entre os hospitais com maior número de pacientes Covid-19, estavam Clínicas (25) e Moinhos de Vento (21).

 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895