Ato contra cortes na educação termina de forma pacífica em Porto Alegre
capa

Ato contra cortes na educação termina de forma pacífica em Porto Alegre

Trânsito foi bloqueado temporariamente durante caminhada no Centro Histórico

Por
Correio do Povo e Rádio Guaíba

Multidão percorreu ruas centrais da Capital

publicidade

*Com informações das repórteres Samantha Klein e Francieli Stefani.

Diversas cidades do país tiveram uma rotina atípica nesta terça-feira. Em Porto Alegre não foi diferente. As escolas públicas e a Ufrgs tiveram aulas canceladas enquanto estudantes e trabalhadores participaram de um protesto — organizado popularmente a nível nacional — em defesa da educação gratuita e contra medidas do governo Bolsonaro, em especial as que envolvem cortes no orçamento da educação.

Ao longo do dia, os manifestantes se concentraram com cartazes e carros de som em diversos pontos da cidade. Inicialmente, o principal foco de atos foi em frente ao Palácio Piratini.

A maior concentração, contudo, ocorreu no final da tarde desta terça-feira na Esquina Democrática, no Centro Histórico. Estudantes, professores, funcionários públicos e sindicatos fizeram a entrega de panfletos informativos e discursaram. Presentes no local, os funcionários dos Correios pediam assinaturas para a não privatização da empresa.

Por volta das 20h os manifestantes saíram da Esquina Democrática e caminharam até a Faculdade de Educação (FACED) da Ufrgs, passando respectivamente pela avenida Júlio de Castilhos e o Túnel da Conceição. O trajeto foi acompanhado pela EPTC e pela Brigada Militar. Mais tarde, por volta das 20h30min, os manifestante encerraram o ato político. 

No decorrer da caminhada, o trânsito sofreu alterações e bloqueios temporários. A Brigada Militar e a organização do ato não divulgaram, até o momento, o número de participantes.