Avião bimotor cai em alto mar em Ubatuba, litoral norte de SP

Avião bimotor cai em alto mar em Ubatuba, litoral norte de SP

Corpo de Bombeiros recebeu chamado para o desaparecimento da aeronave e depois confirmou queda, três estavam a bordo

R7

publicidade

O Corpo de Bombeiros realiza buscas, na manhã desta quinta-feira (25), por um avião bimotor que caiu na divisa entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, entre as regiões de Ubatuba e Paraty. A aeronave tinha três pessoas a bordo no momento do acidente. De acordo com a corporação, houve um chamado para uma possível queda de uma aeronave entre os municípios de Ubatuba, no litoral norte paulista, e Paraty, localizado no estado carioca.

O Grupamento de Bombeiros Marítimo da Ubatuba atendeu a ocorrência e encaminhou uma embarcação com cerca de quatro tripulantes para realizar as buscas na área informada. O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, acionado às 23h46min da quarta-feira (24), também presta apoio na procura pela aeronave e pelas vítimas.

 

 

Em uma publicação nas rede social, feita por Mylena Oliveira, a jovem se identifica como prima do piloto do suposto avião envolvido na queda. Segundo a publicação, aeronave, de prefixo PP-WRS, com três pessoas, precisou realizar um pouso forçado sobre a água na região de Paraty por volta das 20h30 desta quarta-feira (24). A família estaria sem notícias do piloto desde às 21h.

A namorada do piloto também informou que a aeronave decolou às 20h20min de São Paulo em direção ao aeroporto de Jacarepaguá. Segundo ela, o avião teria perdido o motor e precisado fazer um pouso forçado no mar entre Paraty e Trindade às 21h. De acordo com a Anac, a aeronave modelo PA-34-220T, série 34-8133079, pertence ao piloto José Porfírio de Brito Junior.

Não é possível afirmar se o dono estava presente no momento do acidente. Segundo a Agência, o bimotor está com operação negada para táxi aéreo mas em situação regular para aeronavegabilidade. Por meio de nota, o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro afirmou que a ação de resgate às vítimas está sendo realizada pelo Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico, o Salvaero. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895