Bebês são vestidos de boxeadores para chamar a atenção para o dia Mundial da Prematuridade

Bebês são vestidos de boxeadores para chamar a atenção para o dia Mundial da Prematuridade

Iniciativa tem como finalidade destacar para a sociedade o Novembro Roxo

Sidney de Jesus

Bebês prematuros da UTI Neonatal do Hospital Divina Providência foram vestidos de lutadores para destacar o Novembro Roxo

publicidade

Eles lutam pela vida alheios aos cuidados especiais que recebem 24 horas por dia em unidades de terapia intensiva (UTI) de hospitais.  Os bebês prematuros, que vieram ao mundo antes do tempo, a maioria entre 26 e 32 semanas de gestação (seis e oito meses), foram homenageados nesta terça-feira, pela UTI Neonatal do Hospital Divina Providência, para celebrar o dia Mundial da Prematuridade.

Em cerimônia marcada por muita emoção dos pais e a equipe de enfermagem, 15 pequenos e frágeis recém-nascidos foram vestidos como lutadores de boxe. “Os bebês prematuros dão golpes certeiros contra a infecção, pneumonia, apneia e dificuldade de amamentação. No fim da luta são verdadeiros campeões. Nossos lutadores, nossos guerreiros”, afirmou a enfermeira da UTI Neonatal, Thanise Cardoso, em alusão a vestimenta dos bebês e a luta pela vida.

A iniciativa do Hospital Divina Providência pegou de surpresa e rendeu elogios dos pais dos bebês, que não conseguiram segurar a emoção. “Essa homenagem nos fortalece e traz mais confiança na recuperação do nosso filho. Estou muito emocionada ao ver que ele está estável, já respira sozinho e, em breve, vai começar a mamar”, ressaltou a fisioterapeuta Talita Wronski, 30 anos, mãe do pequeno Antonio Wronski, que nasceu no último dia 11 de novembro, com 32 semanas.

O pai de Antonio, o empresário Natan Krupp da Luz, 30, também não escondeu a emoção. “Feliz demais por meu filho estar evoluindo, e também pelo cuidado e carinho dos enfermeiros da UTI Neonatal.  Não vejo a hora de levá-lo para casa”, afirmou.   

“Achei a ideia de caracterizar os bebês como lutadores de boxe genial. Eles são verdadeiros lutadores mesmo”, enfatizou a técnica de análises químicas, Liliane Lemos, 31 anos, mãe de Lucas Magagnin, que nasceu no dia 13 de outubro, com 28 semanas e 995 gramas. Ela destacou que o filho ainda está um pouco anêmico, mas ganhou peso e respira sem ajuda dos aparelhos. “A previsão é que receba alta do hospital em dezembro. Será o meu maior presente de natal”, disse.

De acordo com a enfermeira da UTI Neonatal, Thanise Cardoso, a equipe da UTI trabalha ininterruptamente para cuidar do fortalecimento e recuperação dos bebês prematuros. “Tudo é feito com muito amor e carinho. O dia Mundial da Prematuridade serve para reflexão sobre a importância do período de recuperação que os prematuros necessitam, e também para estimular a confiança dos pais”, ressaltou.

Segundo números da Organização Mundial de Saúde (OMS), 15 milhões de bebês nascem prematuros a cada ano – mais do que um a cada dia.  A prematuridade é a principal causa de óbito em crianças menores de cinco anos. Cerca de 1 milhão de crianças morrem por complicações do parto prematuro, e muitos sobreviventes enfrentam uma vida inteira de sequelas, incluindo dificuldades de aprendizagem e problemas visuais e auditivos.

O Hospital Divina Providência, por meio de sua UTI Neonatal, tem implementado iniciativas para diminuir essas taxas, especialmente no mês conhecido como Novembro Roxo.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895