Bento Gonçalves tem dois casos suspeitos de sarampo
capa

Bento Gonçalves tem dois casos suspeitos de sarampo

Pacientes vieram de outro Estado e são monitorados, conforme a prefeitura

Por
Celso Sgorla

publicidade

Bento Gonçalves tem dois casos suspeitos de sarampo em analise, confirmou a prefeitura nesta segunda-feira. Como prevenção já foram tomadas as medidas de bloqueio, com a vacinação de contatos próximos. O secretário municipal da Saúde, Diogo Siqueira, informou que os casos são de uma mulher e uma criança, vindos de outro Estado com circulação do vírus, por isso são considerados importados. O Município não tinha registros da doença há mais de 30 anos. 

Conforme a Enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Letícia Biasus, os casos tem forte probabilidade de apresentarem resultados positivos, pois possuem sintomas compatíveis com Sarampo. "Os dois pacientes estão residindo há 15 dias em Bento Gonçalves e um deles já estava doente quando saiu do seu Estado de origem. Ambos os pacientes não são vacinados. Por esta razão é importante todos atentarem para sua situação vacinal, e quem não for vacinado, ou esteja com dúvidas deverá procurar a Unidade Básica mais próxima e atualizar seu cartão de vacinas", enfatizou. 

O secretário Diogo Siqueira, disse que a situação clínica dos dois pacientes  é estável.

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. Qualquer indivíduo que apresentar febre e manchas no corpo (exantemas) acompanhado de tosse, coriza ou conjuntivite deve procurar os serviços de saúde para a investigação, principalmente aqueles que estiveram nos 30 dias anteriores em viagem a locais com circulação do vírus. 

A mais efetiva forma de prevenção é a vacinação. Para ser considerada imunizada, a pessoa precisa ter o registro em caderneta  conforme esquema vacinal. A rede pública de saúde disponibiliza gratuitamente vacinas com componente sarampo (Dupla Viral/Tríplice Viral/ Tetra Viral) à população de 6 meses a 49 anos de idade e para todos profissionais de saúde e demais pessoas envolvidas na assistência à saúde hospitalar, independentemente da idade.