Cabos furtados deixam viaduto sem energia em Porto Alegre

Cabos furtados deixam viaduto sem energia em Porto Alegre

Mais de mil metros de fiação foram levados do Viaduto José Eduardo Utzig

Franceli Stefani

A EPTC recebeu na última segunda-feira a caixa distribuidora que foi danificada

publicidade

Mais de mil metros de cabos foram furtados no Viaduto José Eduardo Utzig, localizado no bairro São João, na III Perimetral, sobre a avenida Benjamin Constant, no início de fevereiro. A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) recebeu na última segunda-feira a caixa distribuidora que foi danificada pelos vândalos.

A técnica em Trânsito e Transportes da empresa, Fernanda Araujo Marzani, detalha que a caixa, pertencente a EPTC, é responsável por abrigar todos os equipamentos responsáveis pela parte de alimentação de elevadores, escadas rolantes e elevadores do local. “Foi o furto mais expressivo que registramos até o momento. Isso porque além do furto existe a exposição a riscos da própria comunidade, devido a exposição de fiação”, detalha.



Segundo ela, o viaduto as escuras tem gerado constantes queixas da comunidade. Como é um cabeamento especial, não existe precisão de quando o equipamento será reinstalado e o problema da região solucionado. Como se trata de um bem público, conformme o valor orçado é necessário um processo licitatório. Se fossem apenas equipamentos de rotina a EPTC teria em estoque. “Não é cabeamento simples, ele é especial, em cobre. Isso é muito complicado porque deixa a população desassistida. Nós temos plenas condições, mas idosos não têm”, salienta.

De acordo com Fernanda, os cadeirantes se arriscam entre os veículos, assim como os idosos, que têm dificuldade de se locomoverem. “Quando temos agentes de fiscalização pelo local, eles prestam apoio na fila de transporte, mas nem sempre têm. Acaba que, além do custo à empresa, tem um dano social. O de ir e vir, principalmente”, expressa.

Fernanda lembra que o local onde houve o furto é de intensa movimentação. “Diariamente recebemos muitas queixas da falta de iluminação, mas é bem complicado porque não temos o que fazer, por enquanto.” A técnica diz que todas as salas foram soldadas, na manhã de ontem, para evitar possíveis vandalismos. Ela lembra que desde novembro foram registrados cinco boletins de ocorrências no local, devido ao furto de cabos. Conforme a Secretaria Municipal de Segurança de Porto Alegre as rondas na região serão aumentadas para melhor atender as demandas da comunidade.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895