Carroceiros e carrinheiros de Porto Alegre recebem qualificação

Carroceiros e carrinheiros de Porto Alegre recebem qualificação

Veículos de tração animal e humana devem ser extintos até 2016

Por
Wagner Machado / Correio do Povo

Extinção está prevista para até 2016


publicidade

A extinção total dos veículos de tração animal (VTA) e humana (VTH) em Porto Alegre deve ocorrer até 2016, mas, bem antes deste prazo, a prefeitura tenta garantir alternativas de renda às famílias dos carroceiros e carrinheiros. Até agora, 119 pessoas já participaram de cursos de reinserção econômica.

Para que as carroças deixem de circular pela zona urbana da Capital, segundo a coordenadora do Comitê de Políticas para os Condutores de VTA e VTH, Denise Souza Costa, desde o ano passado, ações de treinamento e capacitação estão sendo feitas com os moradores das ilhas Grande dos Marinheiros e do Pavão, primeiro locais onde foram identificadas cerca de 200 pessoas que utilizam esse serviço como meio de sobrevivência.

“Neste momento, capacitamos 25 pessoas com cursos sobre cooperativismo e outras 94 receberão este mesmo curso, tudo para que tenham novas possibilidades de empregos”, diz Denise, ao destacar que há resistência no cadastramento, mas todos deverão respeitar a lei 10.531, que foi regulamentada pelo decreto 16.638 de 2010. Segundo ela, a meta é cadastrar os carroceiros e carrinheiros neste ano para que o mínimo possível esteja circulando já em 2013. Para isso, a cidade foi dividida em quatro partes e um cadastramento também já está sendo feito na zona Sul, que inclui os bairros Glória, Cruzeiro, Cristal, Restinga e regiões Sul Centro-Sul, Extremo-Sul e Lomba do Pinheiro.

“Cursos de auxiliar de escritório, tesoureiro, montagem e desmontagem de computadores e informática serão oferecidos a partir deste mês. A ideia é qualificar e mostrar novas formas de renda. Outro ponto é divulgar como funcionam as cooperativas. Assim, com estrutura, poderão receber as linhas de créditos oferecidas pelo governo”, observou.

Em 2011, três unidades de triagem de lixo foram implantadas nas novas vilas Chocolatão e Dique e na avenida Frederico Mentz, onde foram trabalhar muitos carrinheiros e carroceiros. No entanto, ainda não é possível estabelecer quantas pessoas trabalham com este segmento em Porto Alegre.

O presidente da Associação de Moradores e Carroceiros da Ilha Grande dos Marinheiros, Venâncio Castro, mesmo receoso quanto à aplicação da lei, vê com bons olhos a chance de aumentar a qualidade de vida das famílias. “Não nos deram outra alternativa, disseram que vão nos tirar de circulação. Agora é buscar outras formas de garantir o sustento e esses cursos do Sebrae estão ajudando", resumiu.

Bookmark and Share