Centro de Porto Alegre segue com grande circulação de pessoas

Centro de Porto Alegre segue com grande circulação de pessoas

Ruas como Andradas e Voluntários da Pátria têm aglomeração em função dos pontos de comércio

Cláudio Isaías

Número elevado de pessoas causa aglomeração nas ruas do Centro

publicidade

As ruas do Centro de Porto Alegre tiveram aumento da circulação de pessoas nos últimos dias. Mesmo com o anúncio das restrições feitas pela prefeitura, que atingem sobretudo o comércio, o movimento nas ruas dos Andradas e Voluntários da Pátria segue intenso. Na Andradas, uma das mais tradicionais vias de comércio da cidade, a presença de clientes começou a ser retomada depois da publicação do decreto municipal que permitiu o acesso dos consumidores aos estabelecimentos desde que obedecidas as regras de segurança. Um dos problemas segue sendo a presença de ambulantes que dominam a rua da Praia, a partir da rua Uruguai até próximo da rua Marechal Floriano. Sobra pouco espaço para a circulação de pedestres que acabam por se aglomerar. O ponto positivo é que a maioria das pessoas que circulam na rua dos Andradas estão utilizando máscara. Alguns chegam a andar também com face shield (protetor facial) e até de luva cirúrgica.   

Em uma loja que comercializa tecidos, os clientes respeitaram as regras e só acessavam o local utilizando a máscara de proteção facial. Além disso, existe um respeito às marcações da distância de um a dois metros colocadas nas calçadas das lojas, bancos, lotéricas e farmácias. Em um estabelecimento comercial na Andradas com a rua Vigário José Inácio, a dona de casa Elizete Martins, moradora da rua André da Rocha, disse que aproveitaria a sexta-feira para realizar a compra de toalhas de banho, lençóis e travesseiros. Na Andradas, nem mesmo o fechamentos das grandes lojas em função do novo decreto municipal que entrou em vigor na terça-feira inibiu os consumidores que circulam na área central para conferir as vitrines.    

A rua Voluntários da Pátria é um dos locais que chama a atenção pela aglomeração de pessoas, principalmente entre a Praça Parobé, ao lado Mercado Público, até a rua Doutor Flores. Neste ponto, os vendedores ambulantes dominam a via oferecendo todo o tipo de produtos. Quase todos sem máscara. Mesma situação ocorre no Largo Glênio Peres, onde comercializam frutas e verduras, sem a utilização de máscara. Outro ponto de aglomeração de pessoas é nas proximidades do Centro Popular de Compras, o POP Center, onde ambulantes e consumidores dividem o mesmo espaço.    

Tanto nos bairros quanto nos terminais de ônibus do Centro (rua Uruguai, Praça Parobé, Borges de Medeiros e Salgado Filho), agentes da EPTC, em parceria com a Guarda Municipal, realizam ações educativas para alertar sobre medidas para impedir a pandemia da Covid-19. As equipes realizam ações para orientar a população sobre as medidas de higiene e conduta. Além disso, é realizada a doação de máscaras para distribuição aos passageiros do transporte coletivo que não têm o material de proteção, obrigatório para a circulação nos ônibus. Os passageiros recebem orientação sobre o uso da máscara, a distância na fila na hora do embarque, da importância de realizar a higienização antes de entrar e depois de sair dos ônibus.  As atividades são realizadas duas vezes por semana, em diferentes terminais da cidade. Outra medida adotada foi permitir a abertura das janelas nos ônibus da Capital para possibilitar a circulação de ar.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895