Cidades brasileiras têm atos em defesa de Bolsonaro, Moro e Lava Jato
capa

Cidades brasileiras têm atos em defesa de Bolsonaro, Moro e Lava Jato

Atos foram convocados após o vazamento de supostas mensagens trocadas pelo ex-juiz com procuradores

Por
Correio do Povo, R7 e AE

No Rio, protesto começou às 10h

publicidade

As manifestações a favor da continuidade da Lava Jato, do avanço da Reforma da Previdência no Congresso e do pacote anticorrupção do ministro Sergio Moro se espalham por cerca de 200 cidades brasileiras neste domingo, segundo os organizadores. Os atos foram convocados após o vazamento de supostas mensagens trocadas pelo ex-juiz com procuradores da força-tarefa da Lava Jato e divulgadas pelo site The Intercept Brasil durante as últimas semanas. A hashtag "Brasil nas ruas" é a mesma utilizada nos protestos realizados em 26 de maio, em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro, e está entre os assuntos mais comentados no Twitter.

As manifestações são organizadas pelos Movimentos Vem pra Rua, Brasil Livre e Nas Ruas. No Rio de Janeiro, o protesto, em apoio a Moro, começou por volta das 10h no posto 5 da Praia de Copacabana, na zona sul. Em São Paulo, a manifestação está marcada para as 14h e deve ocorrer na Avenida Paulista. Em Porto Alegre, o evento está marcado para as 15h, no Parcão. Além disso, há manifestações marcadas em outros países, como Estados Unidos, Canadá, Suíça, Holanda e Portugal, de acordo com os organizadores. 

Copacabana

Com oito carros de som, dois guindastes com grandes bandeiras do Brasil e quase na totalidade vestidos de verde e amarelo, apoiadores do governo Bolsonaro ocupam desde um pouco antes das 10h deste domingo cerca de seis quadras da Avenida Atlântica, em Copacabana, em apoio ao ministro Sergio Moro e gritando palavras de ordem contra o STF, o Congresso e o PT.

Patrocinado pelos mesmos movimentos que estavam ao lado de Bolsonaro na campanha eleitoral - MBL, Vem pra rua e Endireita Brasil -, o manifesto nascido pra apoiar o ministro da Justiça, Sergio Moro, acusado pelo site Intercept de abuso de poder na Operação Lava Jato, tem como uma das trilhas sonoras o MC Reaça, que se suicidou após espancar a amante, revezando espaço com as palavras de ordem e o Hino Nacional.

"O STF é uma vergonha", "Rodrigo Maia se acha 1º ministro", "Fora PT" e a velha política, e até mesmo críticas ao Nióbio, recentemente alvo de uma "live" na internet do presidente Bolsonaro, faziam a festa das pessoas que vieram prestigiar o ministro Moro em um típico dia de "veranico", com sol e calor de mais de 30 graus na orla de Copacabana.