Cinco regiões entram na bandeira vermelha do Distanciamento Controlado

Cinco regiões entram na bandeira vermelha do Distanciamento Controlado

Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo, Capão da Canoa e Palmeira das Missões estão com alto risco de contágio de Covid-19

Por
Correio do Povo

Região de Porto Alegre passou para bandeira vermelha


publicidade

A nova atualização do mapa do modelo de Distanciamento Controlado contra a Covid-19 no Rio Grande do Sul traz a pior classificação semanal para as regiões do Estado. Agora, cinco áreas foram "rebaixadas" para a bandeira vermelha: Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo, Capão da Canoa e Palmeira das Missões agora estão com alto risco de contágio da doença – todas eram bandeira laranja, isto é, risco médio.

Além disso, passando da cor amarela para a laranja, as áreas de Pelotas, Santa Cruz do Sul e Cachoeira do Sul. No total, foram oito regiões rebaixadas em relação a semana anterior. O anúncio foi feito neste sábado pelo governador Eduardo Leite, em uma live nas redes sociais. 

Por outro lado, quatro áreas tiveram melhoras nos indicadores e terão novas flexibilizações. As regiões de Uruguaiana e Caxias do Sul passaram da bandeira vermelha para laranja, e Santa Rosa e Bagé foram de laranja para amarela.

Agora, as regiões poderão apresentar recursos que serão analisados pelo governo estadual. O mapa definitivo do Distanciamento Controlado será anunciado na segunda-feira, e entrará em vigor na terça-feira. Ele valerá até o dia 29 de junho. 

De acordo com Leite, os municípios têm a possibilidade de pedirem reconsideração num prazo de até 24 horas. "Podem fazer um recurso apresentando suas razões técnicas que comprovem que o município tem alguma situação diferenciada para que possamos fazer a reconsideração na segunda. Teremos a reunião do gabinete de crise e vamos analisar os pedidos e os dados", frisou.

Bandeira vermelha

A bandeira vermelha representa restrições mais severas. Por exemplo, somente estabelecimentos que vendem itens essenciais podem estar abertos, mantendo 50% dos trabalhadores. Restaurantes e lancherias ficam proibidos de receber clientes no local, mas podem atender em sistema de tele-entrega, drive-thru e pegue e leve.

Nos shoppings, também fica permitido o acesso apenas a serviços essenciais, como farmácias, lavanderias e supermercados, que podem operar com apenas 25% dos funcionários. As aulas devem ser mantidas apenas de forma remota. Cursos livres, cujo funcionamento seria permitido, com respeito às medidas sanitárias, a partir do dia 15 de junho, devem permanecer fechados, assim como escolas de ensino infantil, fundamental e médio e universidades.

Academias, missas e serviços religiosos, clubes sociais e esportivos (mesmo que com atendimento individual), e serviços de higiene pessoal, como cabeleireiro e barbeiro, por exemplo, passam a ser totalmente vedados. "Algumas pessoa que não conhecem o assunto, acham que é só colorir o mapa. Evidentemente não é isso. Trata-se de analisar indicadores", disse o governador.