Com grande movimento nos postos de saúde, Porto Alegre vacina adolescentes de 17 anos

Com grande movimento nos postos de saúde, Porto Alegre vacina adolescentes de 17 anos

As 11 unidades de saúde registraram filas desde cedo

Cláudio Isaías

Porto Alegre começou a vacinar adolescentes

publicidade

A movimentação para a vacinação dos adolescentes com 17 anos contra a Covid-19 foi intensa nesta terça-feira nos postos de saúde de Porto Alegre. As 11 unidades de saúde registraram filas desde cedo para que os jovens pudessem realizar a primeira dose da vacina. A novidade ficou por conta da inclusão do shopping João Pessoa na aplicação das doses do imunizante. Um levantamento da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) apontou 18.848 adolescentes na faixa etária aptas a realizar a imunização. Na unidade de saúde Camaquã, na zona Sul da Capital, cerca de 100 pessoas estavam na fila aguardando para receber a vacina contra o coronavírus.

A estudante Letícia Figueira Moraes, 17 anos, que estava acompanhada da sua mãe Marlene, afirmou que estava ansiosa pela imunização. "Estava esperando muito por esse momento. Na minha família (pais, avós, tios e irmãos) estão todos vacinados. Graças a Deus deu tudo certo", comemorou a jovem. Já Fernanda da Silva Pereira, 17 anos, afirmou que estava mais aliviada por ter feito a vacina. "Venci essa primeira etapa. Agora é aguarda pela segunda dose" ressaltou. Ela afirmou que vai seguir com os protocolos de segurança - uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social. Durante a vacinação, chamou a atenção a grande presença de pais que foram acompanhar a imunização contra a Covid-19 nos postos de saúde.

A movimentação também foi intensa nas primeiras horas da manhã na unidade de saúde Santa Cecília, no bairro Santana. A fila tinha mais de 60 pessoas (a sua maioria adolescentes com 17 anos) que aguardavam a aplicação da primeira dose. As unidades de saúde Santa Marta, no Centro Histórico, e São Carlos, no bairro Agronomia, também registraram uma intensa circulação de jovens que foram em busca da imunização. O sistema de drive-thru (em que a pessoa não precisa descer do veículo para se vacinar) não foi realizado em Porto Alegre. 

A segunda dose da Pfizer está sendo aplicada em 21 farmácias parceiras e 30 unidades de saúde. Segundo dados do Ministério da Saúde, 213 mil pessoas necessitam receber a segunda dose de Pfizer nas próximas semanas. Também foi mantida a imunização de adolescentes com comorbidades de 12 anos a 17 anos. As equipes volantes do Rolê da Vacina estão em quatro unidades de saúde no período noturno (São Carlos, Centro de Saúde Modelo, Tristeza e Ramos), sem a necessidade de agendamento prévio.

Distribuição de doses

A Secretaria Estadual da Saúde anunciou ontem a distribuição das vacinas Pfizer recebidas na segunda-feira para adolescentes de 17 anos sem comorbidades e para dose de reforço de idosos de 70 anos ou mais não residentes de instituições e para pessoas com baixa imunidade. A distribuição às 18 Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs) ocorrerá nesta quarta-feira. Também será feita a distribuição de um quantitativo para os municípios que ainda não completaram a primeira dose dos adultos maiores de 18 anos. No total, serão 296.010 doses de Pfizer divididas entre esses quatro grupos. A decisão foi tomada pela gestão estadual da Saúde e a representação das Secretarias Municipais de Saúde, em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). Serão distribuídas vacinas para cerca de 50% da população de 17 anos em todo o Estado, ou seja, cerca de 76 mil doses. 

Veja Também

A secretária adjunta da Saúde, Ana Costa, disse que o grupo dos idosos e dos imunossuprimidos são os mais vulneráveis para as complicações da doença. "Não podemos abrir a vacinação para os adolescentes e não focar em reforçar a imunidade desses dois grupos. É preciso que a vacinação dos adolescentes e dos mais vulneráveis seja simultânea”, destacou Ana Costa.

Para receber a primeira dose, todos os públicos devem apresentar documento de identidade com CPF e comprovante de residência em Porto Alegre. Para profissionais de saúde ou da educação, é preciso documento que comprove o vínculo de trabalho na Capital. No caso dos adolescentes com comorbidades, é necessário comprovar a condição - receita, laudo de exame ou relatório médico. O comprovante de residência poderá ser no nome dos pais ou responsáveis.

A aplicação da segunda dose segue disponível em 30 unidades de saúde para quem recebeu AstraZeneca há pelo menos dez semanas e em 13 unidades de saúde para todos que receberam a primeira dose de Coronavac há 28 dias. Já a aplicação da segunda dose da Pfizer estará disponível em 30 unidades de saúde e 21 farmácias parceiras para quem recebeu a primeira dose há dez semanais ou mais. Para segunda dose, é necessário levar identidade com CPF e carteira com registro da primeira aplicação.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895