Com ocupação recorde, oito hospitais registram superlotação em Porto Alegre

Com ocupação recorde, oito hospitais registram superlotação em Porto Alegre

Federação das Santas Casas alerta para dificuldade na aquisição de medicamentos do kit intubação

Felipe Samuel

Oito de 18 hospitais de Porto Alegre estavam superlotados neste domingo

publicidade

Com o agravamento da pandemia em todo Rio Grande do Sul, o fim de semana foi marcado pelo aumento das internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Na Capital, os hospitais referências no tratamento da doença operavam neste domingo com capacidade máxima ou registravam superlotação, resultando em novo recorde de ocupação das UTIs, com 1.044 pacientes em estado grave – 85 acima da capacidade máxima da rede de saúde – e 109% de lotação. Até o início da noite, 197 pessoas aguardavam por leito de UTI, sendo 173 pacientes com diagnóstico para Covid-19.

De acordo com monitoramento da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), do total de internações, 741 eram de pacientes relacionados ao novo coronavírus, com 704 com diagnóstico positivo e 37 suspeitos. Na véspera, os casos envolvendo a Covid-19 somavam 735. Dos 18 hospitais monitorados pela SMS, oito apresentavam superlotação, quatro operavam com capacidade máxima e outros quatro com taxa superior a 90% de lotação. As instituições que enfrentavam maior sobrecarga nas internações eram Moinhos de Vento (145,45%) e São Lucas (133,9%). O hospital Porto Alegre não havia atualizado os dados neste domingo.

A explosão de casos relacionados à Covid-19 na Capital expôs um problema que começa a afetar hospitais referência no tratamento da doença: a falta de respiradores. Por conta do aumento das internações, o Hospital de Clínicas informou que não tem mais ventiladores de alta performance para atender à demanda, que “ultrapassa a capacidade de resposta hospitalar mesmo com realocações e compras emergenciais de equipamentos”. A instituição destaca que, nos últimos dias, já vem trabalhando com maior número de leitos. 

Veja Também

Neste domingo, o hospital tinha 132 pacientes relacionados à Covid-19 em estado crítico, 27 em leitos extras, o que representava uma ocupação de 126%. O Clínicas observa que dos 167 ventiladores do hospital cadastrados para uso adulto, 145 são adequados para ventilação mecânica continuada e 22 são ventiladores de anestesia, usados para ventilação por curtos períodos de tempo. Por conta dessa situação, o HCPA solicitou auxílio aos gestores municipais e estaduais para aquisição de equipamentos com características técnicas que atendam às necessidades dos pacientes com Covid-19.

O avanço do contágio nos municípios gaúchos mantém a rede hospitalar sob pressão, com 3.094 pacientes em UTIs no RS, sendo 2.201 (71,1%) casos confirmados para Covid-19 e outros 156 (5%) com diagnóstico suspeito. Neste domingo, a SES reportou mais 79 óbitos relacionados à Covid-19, o que elevou o total de vítimas no Estado a 13.449. 

Federação das Santas Casas alerta para esgotamento da rede de saúde

Em função do agravamento da pandemia, a Federação das Santas Casas do Rio Grande do Sul divulgou mensagem alertando a população sobre o esgotamento da rede hospitalar. O presidente da entidade, Luciney Bohrer, disse que a situação é extremamente preocupante pelo número de pacientes que estão buscando atendimento nessas instituições. “Temos pacientes com quadro de agravamento extremamente rápido e as estruturas físicas e recursos humanos estão cada vez mais comprometidos para poder atender essa demanda”, explica.
 
Bohrer ressalta que ainda há dificuldades para aquisição do kit intubação: “São medicamentos com valores extremamente altos e com muita dificuldade de compra no mercado, devido a grande demanda no Brasil inteiro com relação ao uso dessas medicações”, destaca. Conforme o Bohrer, os hospitais enfrentam dificuldades para comprar insumos, materiais e equipamentos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895