Comprova retorna com coalizão de 24 veículos para combater desinformação sobre políticas públicas

Comprova retorna com coalizão de 24 veículos para combater desinformação sobre políticas públicas

Durante o segundo semestre, jornalistas atuarão checando a veracidade de materiais encontrados nas redes sociais

Por
Eric Raupp

Iniciativa será lançada nesta quinta, em São Paulo


publicidade

O Correio do Povo, ao lado de outros 23 veículos de imprensa do Brasil, integra a segunda edição do projeto Comprova, iniciativa que, a partir de julho, vai atuar no combate à desinformação sobre políticas públicas na Internet. Como parte das atividades, os profissionais selecionados receberam durante esta semana uma aula sobre checar a veracidade de materiais encontrados nas redes sociais. Apartidário, o processo segue metodologia científica da organização não-governamental First Draft, responsável por ministrar um treinamento sobre checagem de conteúdos online.

"Nosso papel será trazer luz sobre temas de políticas públicas e mostrar o quais interesses estão por trás da desinformação. São muitas redações com pontos de vista diferentes, o que enriquece o que vamos publicar”,  argumenta o editor do Comprova, Sérgio Lüdtke. A coalizão foi lançada em 2018 com o objetivo de combater a disseminação de conteúdos falsos durante a eleição presidencial brasileira. Neste ano, será a primeira vez que um trabalho do tipo atuará fora do período eleitoral.

Na primeira edição, os jornalistas do conduziram 146 investigações sobre conteúdos que tiveram grande viralização nas mídias sociais durante a campanha eleitoral; dessas, somente 8% continham informações verdadeiras. O modelo foi inspirado pela metodologia CrossCheck criada por Jenni Sargent, diretora do First Draft, e utilizada inicialmente na França, no período anterior à eleição daquele país, em 2017, quando 37 organizações (33 redações regionais e nacionais) se reuniram.

O presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) defende a continuidade da parceria entre diferentes empresas de comunicação. "Neste ano não teremos eleições, mas verificamos que grupos politicamente motivados seguem impulsionando a circulação de falsidades", afirma Daniel Bramatti, responsável também pela gerência-executiva do projeto. "Além de desmentir boatos, o projeto buscará explicar políticas públicas e projetos para alterá-las, prestando um serviço à população", completa.

Para a britânica Claire Wardle, diretora executiva do First Draft, "o Comprova não é sobre mudar a visão das pessoas, mas proteger a população contra tentativas de dividar comunidades por questões de raça, religião, etnia e sexualidade". "Como lidamos com isso, um tema em voga no mundo inteiro, como investigamos as motivações da pessoas que criam esses conteúdos? Isso não é sobre o conteúdo, mas a história, a intenção por trás dele. A questão é como informamos a audiência brasileira sobre as formas pelas quais ela é manipulada".

Atuação

Entre os integrantes da coalizão, que trabalhará de forma colaborativa durante todo o segundo semestre, estão AFP (Agence France-Presse), Band, Band.com.br, BandNews FM, BandNews TV, Canal Futura Estadão, Exame, Folha de S.Paulo, GaúchaZH, Gazeta Online, Jornal Correio, Jornal do Commercio, Metro Jornal, Nexo, Nova Escola, NSC Comunicação, O Povo, Poder360, Rádio Bandeirantes, revista piauí, SBT e UOL.

Além da verificação de fatos, o Comprova promoverá ações educativas, como a difusão de cursos online sobre o combate à desinformação. A iniciativa tem patrocínio do Google News Initiative, do Facebook Journalism Project e do WhatsApp, e é coordenada pela Abraji. O lançamento ocorre nesta quinta-feira, durante o  14º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo, que vai até domingo (30) no campus Vila Olímpia da Universidade Anhembi Morumbi, na zona sul de São Paulo. A abertura será uma entrevista com o ex-secretário de Governo de Jair Bolsonaro, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, demitido há duas semanas.

Como encontrar o Comprova


Site: projetocomprova.com.br
Facebook: facebook.com/ComprovaBR
Twitter: twitter.com/comprova
YouTube: youtube.com/comprova