Defesa Civil da Capital atende 195 famílias no Lami em função do excesso de chuva
capa

Defesa Civil da Capital atende 195 famílias no Lami em função do excesso de chuva

Mais de 80 árvores e galhos caídos tiveram de ser removidos desde terça na cidade

Por
Rádio Guaíba

Órgão monitora nível do Guaíba e não descarta cheia nas Ilhas

publicidade

Levantamento da Defesa Civil Municipal revela que, até o fim da tarde desta quinta-feira, 195 famílias haviam sido atingidas pelo excesso de chuva no bairro Lami, no Extremo-Sul de Porto Alegre. Cerca de 7,2 mil metros quadrados de lona foram distribuídos até o momento. A população pode acionar as equipes pelo telefone de emergência 199.

O órgão informou que também monitora o nível do Guaíba. No ponto de medição do Cais Mauá, as águas atingiram 1,68m, nesta quinta. A cota de transbordamento é de 3m e a condição atual é de atenção, com possibilidade de emissão de alerta em função das águas que ainda vão escoar dos rios Jacuí, Caí, Sinos, Taquari e Gravataí, todos eles com níveis acima do normal.

De acordo com o diretor-geral da Defesa Civil, Evaldo Rodrigues, há risco de alagamento para a região do bairro Arquipélago, que reúne as Ilhas Grande dos Marinheiros, das Flores, do Pavão, da Pintada e Mauá. A previsão de retorno das chuvas, no sábado, pode agravar a situação.

Já a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) prioriza ações em locais que apresentem riscos à população, vias de grande circulação ou que apresentem bloqueio. Da meia-noite ás 17h, as Equipes de Manejo Arbóreo (EMA) atenderam pelo menos 34 casos envolvendo quedas de galhos ou árvores. Entre terça e quarta, o setor contabilizou mais 49 situações.

Equipes de zeladoria urbana do DMLU seguem fazendo a limpeza e o recolhimento do lixo espalhado pelo evento climático. Já o Dmae cuida de casos de alagamento e acúmulo de água. Demandas podem ser encaminhadas pelo telefone 156, do Sistema Fala Porto Alegre.