Dia Nacional do Bombeiro é comemorado neste sábado: saiba mais sobre a data

Dia Nacional do Bombeiro é comemorado neste sábado: saiba mais sobre a data

Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) comemora a atuação destacada desses heróis tanto em solo gaúcho quanto fora do RS

Felipe Samuel

Escolha do dia 2 de julho é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte

publicidade

Com a missão de salvar vidas nas situações mais dramáticas e auxiliar no resgate em desastres naturais e incêndios, os bombeiros cada vez mais desempenham papel fundamental junto às forças de segurança. No Dia Nacional do Bombeiro, comemorado neste sábado, o Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) comemora a atuação destacada desses heróis tanto em solo gaúcho quanto fora do Estado, onde os militares mantêm tradição de ajudar os colegas de farda, como nos casos de resgate às vítimas dos desastres de Teresópolis, no Rio de Janeiro, e de Brumadinho, em Minas Gerais.

A escolha do dia 2 de julho é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, inaugurado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, e sob o comando do major João Batista de Morais Anta. Oficialmente, o dia do bombeiro brasileiro foi instituído através do decreto-lei nº 35.309, de 2 de abril de 1954. A partir desta mesma lei, também foi definido a realização anual da Semana de Prevenção Contra Incêndios. O comandante-geral do CBMRS, coronel Luiz Carlos Neves Soares Júnior, afirma que é uma grande responsabilidade exercer a função de bombeiro. "Exige muito treinamento, atualização, vigor físico. Além de ter que se manter atualizado tecnicamente, tem que se manter atualizado fisicamente para ter condições de atuação", explica.

No RS, a corporação conta com 3,1 mil bombeiros, que estão distribuídos em 93 municípios. Além do episódio recente do desastre de Teresópolis, Soares Júnior lembra da atuação dos bombeiros no combate ao incêndio florestal na fronteira com a Argentina, em fevereiro, no município de Santo Tomé, na divisa com São Borja. "Aquele grande incêndio se aproximou de Paso de los Libres, na província de Missiones. Nessa mesma época enviamos equipes para auxiliar no resgate das vítimas de Teresópolis. Foram atuações feitas fora dos limites do RS em colaboração com outros bombeiros", relembra.

Ao ressaltar que faz parte da história dos bombeiros gaúchos essa atuação 'não só dentro do Estado' mas também fora das fronteiras do RS', Soares Júnior afirma que a profissão de bombeiro aparece normalmente em primeiro lugar no ranking das profissões com maior credibilidade. "Este é um desafio sempre a ser mantido pela corporação e pelo profissional bombeiro", avalia. Entre os momentos marcantes da carreira, ele ressalta o incêndio que tomou conta do prédio da Secretaria de Segurança Pública (SSP), em 14 de julho de 2021, e que tirou a vida do 1º tenente Deroci de Almeida da Costa e do 2º sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós.

"É um fato marcante pela perda da edificação, mas principalmente pela perda de dois profissionais de extremo valor, muito competentes e dedicados à profissão. Foi um sentimento não só meu, mas de todos os bombeiros que estavam lá, porque eram profissionais do mais alto gabarito", recorda. Para auxiliar nos serviços de resgate durante a Operação Verão, este ano o CBMRS deve receber o reforço de um helicóptero modelo Koala, que será a primeira aeronave da corporação. "Vai auxiliar as equipes de salvamento em locais de difícil acesso, como no Itaimbezinho, em regiões de Serra", afirma.

Uma embarcação adquirida via programa Avançar também vai reforçar a atuação da Companhia Especial de Busca e Salvamento. "Vai ficar em Porto Alegre, porque temos grande trânsito de catamarãs, as ilhas, mas nada impede que ela possa apoiar outras localidades se houver acesso hidroviário", reforça.

Ação demonstra aplicação da Manobra de Heimlich

Preocupados com o elevado número de ocorrências envolvendo salvamentos de pessoas engasgadas em Porto Alegre, especialistas do Quadro de Saúde da Brigada Militar e integrantes do Corpo de Bombeiros Militar realizaram nesta sexta-feira uma ação de conscientização na Esquina Democrática. Na véspera do Dia Nacional do Bombeiro, os militares fizeram demonstrações da aplicação da Manobra de Heimlich, que consiste na compressão na região diafragmática do adulto ou da criança no intuito de desobstruir as vias aéreas.

O 1º tenente João Paulo Hawreilouck Cavalheiro, que atua no Hospital da Brigada Militar (HBM), explica que a atividade visa esclarecer a importância da manobra no salvamento de pessoas engasgadas. Cavaleiro afirma que muitas ocorrências dessa natureza são registradas como atendimento via telefone, mas não existe 'um sistema eficaz pra esse tipo de registro'. "Do início do ano até o momento, a gente tem registrado, efetivado e com bastante êxito, 29 manobras realizadas de pessoas que levam, principalmente, crianças. Está ocorrendo muito nessa época, nas corporações, tanto dos bombeiros e via Brigada Militar através do 190", ressalta.

Conforme Cavalheiro, a aplicação da Manobra de Heimlich salva muitas vidas. "Quando uma pessoa está com a via aérea obstruída, acaba entrando em apneia, depois em asfixia e uma parada respiratória. A partir de três minutos começa a ter lesão neurológica, e isso muitas vezes é irreversível, podendo levar até a morte. Então a ideia realmente é desobstruir as vias aéreas através da manobra e fazer com que a pessoa retorne a ventilação de uma forma espontânea", observa. Ele reforça que qualquer pessoa pode aprender esse movimento, que pode salvar vidas de maneira simples. "São atos simples, que acabam prolongando a vida de uma pessoa", frisa.

Em uma das demonstrações, os militares utilizaram uma boneca. "A gente tem manequins de treinamento de simulação realística tanto de criança, de bebê e adulto também. Para o dia de hoje a gente tem o bebê e a gente utiliza o voluntário mesmo pra demonstrar de uma forma mais eficaz", destaca. Os soldados João Adalberto Westphalen Alves e Tércio Misael Pires, que atuam no 1° Batalhão de Bombeiro Militar (1°BBM), também participaram da ação. "A gente tem um alto índice de efetividade de manobras. E são manobras simples de fazer. Esse tempo aqui na esquina democrática é justamente pra isso, ensinar a população, aprender como se desengasga, desobstruir uma via aérea tanto do bebê quanto do adulto", explica Alves.

Os bombeiros explicam que em muitos casos os pedidos de salvamento ocorrem por telefone. "Muitas vezes a gente não está no local pra atender. A gente tem que orientar a pessoa que está procurando ajuda a como fazer as manobras. É importante tentar acalmar a pessoa, porque o nervosismo é o que mais prejudica na hora. Muitas pessoas sabem até fazer a manobra, mas por estarem nervosas às vezes um pai e uma mãe, por estarem naquela situação de emergência, acabam não conseguindo fazer por conta do nervosismo", destaca Alves. "É bastante comum a pessoa travar por conta de uma situação de estresse", ressalta Pires. "Mas com calma e tranquilidade a execução bem feita não tem problema", completa.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895