Doria diz que 3ª dose de vacina contra a Covid-19 será dada a pessoas com mais de 60 anos em SP

Doria diz que 3ª dose de vacina contra a Covid-19 será dada a pessoas com mais de 60 anos em SP

Comunicado acontece após o governo federal anunciar a mesma estratégia para imunossuprimidos e idosos

AE

Número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose no Brasil chegou a 59,19% da população total

publicidade

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira que a aplicação da terceira dose da vacina contra Covid-19 para pessoas acima de 60 anos começará a ser aplicada a partir do próximo dia 6 de setembro. De acordo com o governador, as discussões sobre o tema foram finalizadas nesta manhã.

Doria havia adiantado o anúncio sobre a decisão do governo a respeito do tema. Pela manhã, o tucano tinha afirmado, durante entrega de vacinas ao Ministério da Saúde, que a decisão seria anunciada apenas na sexta-feira. O comunicado acontece após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciar, também nesta manhã, a aplicação da terceira dose para imunossuprimidos e idosos a partir de 15 de setembro.

Veja Também

De acordo com o coordenador do centro de contingência da covid, Paulo Menezes, a aplicação da terceira dose da vacina acontece como a adoção de "um passo a mais na segurança" da população mais vulnerável em meio ao avanço da variante Delta no País.

O coordenador do centro de contingência, João Gabbardo, ressaltou que os índices epidemiológicos do Estado continuam a melhorar, mesmo com o avanço de casos da variante delta. "Não temos nenhum tipo de alteração nos indicadores por consequência do aparecimento dessa variante até o presente momento", disse. Gabbardo afirmou que tanto a antecipação da segunda dose da vacina, quanto a aplicação da terceira dose do imunizante são medidas tomadas com base na observação do avanço da variante em outros países.

O Estado de São Paulo registrou nesta terça-feira média móvel de 196 mortes por Covid-19 por dia. Na comparação com 14 dias anteriores, a tendência voltou a ser de queda, após duas semanas em estabilidade. As internações também seguem em declínio. A taxa de ocupação dos leitos de UTI no Estado hoje é de 38,5%; na Grande São Paulo, está em 37,2%. Em termos absolutos foram registrados 4.222.902 casos de covid-19 durante toda a pandemia, com 144.510 óbitos.

O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil chegou a 125.339.734 ou 59,19% da população total. Em termos proporcionais, São Paulo continua como o Estado que mais vacinou até aqui: 71,95% dos habitantes receberam ao menos a primeira dose. Mato Grosso do Sul apresenta a maior porcentagem de imunizados: 41,32% da população recebeu as duas doses ou um imunizante de aplicação única.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895