"Drogômetro" será utilizado a partir de abril em Porto Alegre

"Drogômetro" será utilizado a partir de abril em Porto Alegre

Ação com equipamento que identifica uso de drogas pela saliva irá ocorrer durante Balada Segura

Cláudio Isaias

Equipamento que identifica uso de drogas a partir da saliva será utilizado durante Balada Segura

publicidade

Os testes em motoristas com drogômetros (que identificam o uso de drogas a partir da saliva) começam no mês de abril em Porto Alegre. O anúncio foi feito ontem pelo médico Flávio Pechansky, chefe do Serviço de Psiquiatria de Adição do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), durante apresentação do projeto aos representantes do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RS) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Segundo Pechansky, a ação será realizada durante a operação Balada Segura e não haverá punição a quem for identificado no equipamento. “Vamos escolher motoristas que estiverem impossibilitados de dirigir no momento da abordagem policial”, explicou o médico. O exame identifica substâncias como cocaína, maconha, benzodiazepínicos, metanfetaminas e opioides.

Conforme Pechansky, serão coletadas 300 amostras - 250 de motoristas abordados em blitze na Capital e também nas rodovias do Rio Grande do Sul que serão convidados a participar de testes com o uso de drogômetro. Além disso, 50 agentes de trânsito também serão convocados. Profissionais do Centro de Pesquisas do Hospital de Clínicas vão testar cinco equipamentos que coletam a saliva.

O diretor-geral do Detran/RS, Ildo Mário Szinvelski, disse que mesmo se aprovado, os resultados obtidos nos exames não servirão de prova para autuar os motoristas, devido à ausência de regulamentação por parte do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Segundo Pechansky, a ideia é divulgar os resultados dos testes dos drogômetros em outubro durante a 21ª Conferência do Conselho Internacional sobre Álcool, Drogas e Segurança no Trânsito. O evento será realizado em outubro em Gramado.

O superintende da PRF, inspetor Pedro Silva, ressaltou que não haverá punição a quem for identificado no equipamento. A expectativa é que a aprovação do uso equipamento possa ocorrer num prazo de 30 dias.

Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895