Empresas de ônibus descontarão dos trabalhadores que fizerem greve na sexta
capa

Empresas de ônibus descontarão dos trabalhadores que fizerem greve na sexta

ATP defende que paralisação desrespeita lei

Por
Correio do Povo

Funcionários das empresas de ônibus terão dia descontado dos salários

publicidade

A Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP) revelou em nota nesta quinta-feira que descontará os salários dos trabalhadores que optarem por participar da greve geral, criada por diversas organizações da sociedade brasileira contra as reformas trabalhista e da previdência. Segundo a ATP, a paralisação desrespeita a Lei 7783/89 que define o transporte coletivo como serviço essencial. O artigo 11 da mesma lei estipula que, em caso de greve, empregados e empregadores devem garantir a prestação dos serviços mínimos e indispensáveis à comunidade.

"A paralisação prejudica as empresas, que estão em situação financeira difícil, mas prejudica ainda mais a população que vê impedido o seu direito de ir e vir", declarou o diretor executivo, Gustavo Simionovschi.

A ATP revela ainda que não foi notificada sobre o movimento e que ficou sabendo pelos veículos de comunicação. Segundo a instituição, a informação da paralisação é uma obrigação prevista em lei.

Os rodoviários de Porto Alegre e Região Metropolitana (Canoas, Gravataí, Cachoeirinha e Viamão) revelaram na quarta-feira que farão bloqueios nas garagens de ônibus na greve geral da sexta-feira. Na Capital, a promessa é que os trabalhadores e entidades sindicais estarão no portão de 14 garagens a partir das 4h de sexta para impedir a circulação dos ônibus durante a manhã.

O Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) informou na terça-feira que os ônibus intermunicipais não iriam circular, mas na manhã de quarta-feira o órgão voltou atrás e confirmou que todos funcionarão normalmente. Como a segunda-feira será de homenagens aos trabalhadores, não está afastada a estratégia de aumentar o número de veículos para atender aqueles que irão se deslocar pelo Estado.

O Trensurb deixará de circular a partir das 23h30min. A informação foi dada pelo Sindicato dos Metroviários na quarta-feira. O movimento dará início à greve geral marcada para esta sexta-feira.