Energia e vibração de militares marcam desfile do 7 de Setembro em Porto Alegre
capa

Energia e vibração de militares marcam desfile do 7 de Setembro em Porto Alegre

Chuva não intimidou participantes de cerimônia realizada na avenida Edvaldo Pereira Paiva

Por
Franceli Stefani

Desfile de 7 Setembro em Porto Alegre ocorreu mesmo com chuva

publicidade

O dia cinza, com chuva em diversos momentos, não atrapalhou o brilho dos festejos do Dia da Independência do Brasil em Porto Alegre. Na avenida Edvaldo Pereira Paiva mais de 4,5 mil pessoas desfilaram o amor ao país, entre militares e civis. Durante as cerca de duas horas de atividade, em torno de 200 viaturas, incluindo os blindados do Exército e as viaturas leves da Marinha, Exército, Aeronáutica, Brigada Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Empresa Pública de Transporte e Circulação e da Guarda Municipal, passaram em frente à plateia e ao palanque oficial e de convidados.

O general Miotto enalteceu a importância do evento, mas lamentou a chuva que caiu durante praticamente toda a manhã de sábado.  “O desfile foi excelente, com a participação de todas as tropas: federal, estadual e municipal. O mau tempo prejudicou, mas a vibração dos nossos alunos nos faz nós sentirmos mais brasileiros”, destacou. 

Entre os tantos participantes, quem foi assistir ao evento viu pela primeira vez na história a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) se integrar ao momento. O governador em exercício Ranolfo Vieira Júnior falou que o Estado estava presente com todas as suas forças. “Dentro desse espírito de civismo, estava muito bonito o desfile, embora o tempo tenha prejudicado um pouco”, avaliou. 

O desfile 

Eram 9h30min quando o governador em exercício Ranolfo Vieira Júnior, acompanhado do comandante Militar do Sul, general de exército Antonio Geraldo Miotto, passaram em revista pelo percurso do evento. Foram saudados e aplaudidos por parte do público. Depois das honras militares e hasteamento da bandeira, o Grupamento de Bandas e Fanfarras iniciou a programação verde e amarela, em um desfile marcado pelo amor à pátria e a esperança de um futuro melhor. 

Foi esse espírito que levou o casal João Pedro, 35, e Cecília Pereira Lopes, 29 anos, a levantar cedo e escolher o melhor lugar à beira do Guaíba. “Estamos em uma época de mudança, de valorização da essência da família brasileira, é o momento de participar, tirar a bandeira do armário e aplaudir os feitos da nossa população”, enalteceu ele. Para Cecília a data serviu para reflexão. “Precisamos olhar para essas cores e analisarmos como está o nosso país, precisamos mudar para que possamos crescer.”

Com uma bandeira nas mãos e a cuia de chimarrão na outra, a analista de projetos Marianne Borges, 48, disse que o mau tempo não é desculpa para deixar de valorizar o Brasil. “É uma data histórica, esse ano mais do que nunca. Vale a pena ver o desfile lindo e muito bem organizado pelo Exército, em um momento de transformação que vivemos”, garantiu. Ao lado dela estava o empresário João Valer, 56, morador da Zona Sul de Porto Alegre. “O significado da bandeira brasileira deveria ser honrado por todos”, frisou ele, enquanto aplaudia a passagem do Colégio Tiradentes da Brigada Militar.

Pelo Estado, alguns desfiles que estavam programados foram cancelados em função da chuva, na região Metropolitana e nos vales dos Sinos, Paranhana e Taquari. Em algumas cidades o evento cívico foi transferido para outras datas. Em Esteio, por exemplo, a atividade será dia 29 de setembro. Conforme a prefeitura, a decisão foi tomada pensando nas crianças e jovens que ficariam expostos às condições do tempo.